O Erro de Nietzsche e a (não) Morte de Deus: o (des)encantamento do mundo

Donizete Rodrigues

Resumo


A partir da ideia de Nietzsche de que Deus está morto – princípio básico da secularização – e do conceito de religião, em uma perspectiva substantivista e funcionalista, este texto aborda a contribuição de alguns autores, clássicos (Marx, Weber, Durkheim, Freud) e modernos (Eliade, Bourdieu, Habermas, Hervieu-Léger, Grace Davie, Heelas), na importante discussão sobre o (des) encantamento do mundo. Outro tema em foco é o papel da religião na sociedade contemporânea, no contexto de um mundo “reencantado’” com mudanças significativas no “mercado de bens simbólicos”, marcado por uma individualização/privatização da fé, desterritorialização do espaço sagrado, pluralismo religioso (com novas e difusas práticas religiosas) e pelo fenômeno do pentecostalismo.


Palavras-chave


Religião; Secularização; (Des)Encantamento do mundo; Pluralismo religioso; Pentecostalismo

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7984.2017v16n36p128

Direitos autorais 2017 Política & Sociedade

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 Visite nossa página no Facebook:

https://www.facebook.com/revistapoliticaesociedade/

Creative Commons License

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.
Revista Política & Sociedade - ISSNe 2175-7984
Florianópolis - SC - Brasil

CNPq CAPES