Émile Durkheim: de ideólogo da laicidade a precursor das teorias pós-seculares

Autores

  • Raquel Weiss Universidade de São Paulo (USP)

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7984.2017v16n36p428

Palavras-chave:

Durkheim, Religião, Moral, Laicidade, Pós-secular, Pluralismo

Resumo

Este artigo apresenta e articula três eixos argumentativos que, em seu conjunto, propõem uma reinterpretação da concepção de religião presente na obra de Émile Durkheim, que resulta na possibilidade de tomar seus escritos finais como fonte de justificativa para teorias pós-seculares. O primeiro eixo insere o autor em seu contexto histórico, de modo a apresentar a natureza de seu engajamento normativo com o princípio da laicidade que compunha o ideário moral da Terceira República francesa. O segundo eixo constrói uma narrativa acerca da obra do autor na qual se indica uma transformação de sua concepção de religião, bem como da relação desta com a dimensão moral da vida. A tese aqui defendida é a de que seu entendimento sobre a religião presente em As Formas Elementares da Vida Religiosa (DURKHEIM, 1912) é plenamente compatível com as ideias de pós-secularização como diagnóstico de época e como horizonte normativo da modernidade tardia. O terceiro e último eixo representa uma tomada de posição por parte da autora acerca da ideia de pós-secular como melhor forma para ensejar o pluralismo religioso e axiológico.

Biografia do Autor

Raquel Weiss, Universidade de São Paulo (USP)

Doutora em Filosofia pela Universidade de São Paulo (USP). Professora do Departamento de Sociologia e do Programa de pós-graduação em Sociologia da UFRGS, Diretora do Centro Brasileiro de Estudos Durkheimianos.

Downloads

Publicado

2017-10-17

Edição

Seção

Dossiê Temático