A razão governamental de Alberto Torres

Alexandre de Paiva Rio Camargo

Resumo


O artigo investiga a obra de Alberto Torres sob o ponto de vista da introdução de uma razão go- vernamental no pensamento político brasileiro, pautada pela lógica da prevenção e da estruturação do campo de ações possíveis. Parte das reflexões de Michel Foucault sobre a governamentalidade para examinar a visão torreana de modernização e procura mostrar que a arquitetura do Estado desenhada em A organização nacional e O problema nacional brasileiro é inseparável das medi- das destinadas a produzir o “homem novo” como sujeito ético capaz de enfrentar os riscos da vida social, o que constitui um marco de ruptura na tradição do pensamento político e social. A razão governamental é analisada quanto aos seguintes aspectos: a influência da sociabilidade da escravidão na concepção de população, baseada na lógica afetiva e nas interações comunitárias; a reforma do regime jurídico e a formação de um regime de opinião, na direção de um governo das percepções; o lugar da política racial e do povoamento territorial na expansão da capacidade administrativa do Estado e na regulação da agência humana.


Palavras-chave


Governamentalidade; Política de População; Coordenação nacional; Pensamento Social; Primeira República

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7984.2018v17n40p342

Direitos autorais 2019 Política & Sociedade

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 Visite nossa página no Facebook:

https://www.facebook.com/revistapoliticaesociedade/

Creative Commons License

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.
Revista Política & Sociedade - ISSNe 2175-7984
Florianópolis - SC - Brasil

CNPq CAPES