Destinos, Escolhas e a Democratização do Ensino Superior

Maria Ligia de Oliveira Barbosa

Resumo


Este artigo analisa algumas das diversas políticas (tanto governamentais quanto institucionais) que visam a assegurar o acesso e a permanência dos estudantes até a conclusão dos cursos no sistema brasileiro de ensino superior. Trata-se de uma tentativa de avançar na discussão sobre qual seria uma democratização possível para esse sistema. O artigo busca verificar se, apesar da manutenção dos padrões de desigualdade estrutural, de prestígio e renda, seria possível encontrar políticas que se contraponham a essa tendência. Foram analisadas as políticas de cotas raciais e sociais, o Reuni e o ProUni, bem como o programa de interiorização da Universidade Federal Fluminense (UFF) e de estágios e bolsas na Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-Minas). Foram utilizadas pesquisas feitas por pesquisadores do LAPES/UFRJ/CNPq. O material analisado permite confirmar a existência de ações e políticas que criam probabilidades efetivas de que Escolhas dos indivíduos e grupos possam prevalecer sobre os Destinos socialmente desenhados para eles.


Palavras-chave


Ensino Superior. Democratização. Políticas sociais. Acesso ao ensino superior. Permanência no ensino superior.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, W. M. Estudantes com desvantagens econômicas e educacionais e fruição da universidade. Caderno CRH, Salvador, v. 20, n. 49, p. 35-46, 2007.

______. USP para todos? Estudantes com desvantagens socioeconômicas e educacionais e fruição da universidade pública. São Paulo: Musa, Fapesp, 2009.

ALMEIDA NETO, Manuel. Novos atores no Ensino Superior Brasileiro: Impactos do perfil socioeconômico e das condições pós-acesso sobre o fluxo escolar e inserção profissional de estudantes de Ciências Sociais de uma instituição privada. 2015. 122 f. Tese (Doutorado em Sociologia) – Programa da Pós-Graduação em Sociologia, Universidade federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2015.

ALVES, A. P. G. Objetivação participante: um estudo sobre a identidade profissional dos sociólogos da cidade do Rio de Janeiro. 2007. 153 f. Dissertação (Mestrado em Sociologia e Antropologia) – Programa de Pós-graduação em Sociologia e Antropologia, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2007.

BAKER, D. P. The Schooled Society: &e educational transformation of global culture. Stanford, California: Stanford University Press, 2014.

BARBOSA, M. L. O. Training in architecture: how professionals are produced. In: LARA, F.; MARQUES, S. (Ed.). Architectural education? Quidi novi? , Austin, Texas, nhamerica, 2015, p. 56-80

______.; SANTOS, C. T. A permeabilidade social das carreiras do ensino superior. Cadernos do CRH [Online], Salvador, v. 24, n. 63, p. 535-554, set./dez. 2011. Disponível em:

www.scielo.br/pdf/ccrh/v24n63/06.pdf>. Acesso em: 9 set. 2015.

______.; ZUCCARELLI, C. A formação nas áreas de CTEM: saberes modernos em instituições tradicionais In: In: OLIVEIRA, M. P. P. (Org.). Formação de Profissionais das áreas de Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática (CTEM). 1. ed. Brasília: ABDI/IPEA, 2014. v. IV. p. 63-98.

BASTOS, A. P. B. L. Herdeiros ou sobreviventes: mobilidade social no ensino superior. 2004. 167 f. Dissertação (Mestrado em Sociologia e Antropologia) – Programa de Pós-graduação em Sociologia e Antropologia, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2004.

BOLIVER, V. Maximally Maintained Inequality and Eectively Maintained Inequality in Education: Operationalizing the Expansion-Inequality Relationship. Sociology Working Papers, Paper n. 2010-05, Department of Sociology, University of Oxford. 2010. Disponível

em: . Acesso em: 9 set. 2015.

BRAGA, M. M.; PEIXOTO, M. C.; BOGUTCHI, T. Tendências da demanda pelo ensino superior: Estudo de caso da UFMG. Cadernos de Pesquisa – Fundação Carlos Chagas, São Paulo, n. 113, p. 129-152, 2001.

CARRANO, P. C. R. Jovens Universitários: acesso, formação, experiências e inserção profissional. In: SPÓSITO, M. P. (Ed.). O Estado da Arte sobre juventude na pós-graduação brasileira: Educação, Ciências Sociais e Serviço Social (1999-2006). 1. ed. Belo Horizonte: Argumentum, 2009. v. 1. p. 179-228.

CARUSO, L. Identificação de mudanças em profissões de nível superior em um cenário prospectivo otimista. In: BARBOSA, M. L. (Org.). Ensino Superior: Expansão e Democratização. Rio de Janeiro: Editora 7 Letras, 2014. p. 259-272.

CASTRO, M. H. M. Universidade: a quantas anda nossa excelência e relevância? In: BARBOSA, M. L. (Org.). Ensino Superior: Expansão e Democratização. Rio de Janeiro: Editora 7 Letras, 2014. p. 71-102.

DUBET, F. La préférence pour l’inégalité: comprendre la crise des solidarités. Paris: Seuil, 2014.

______. Qual a democratização do ensino superior. Caderno CRH, Salvador, v. 28, n. 74, p. 255-265, maio/ago. 2015. Disponível em: . Acesso em: 9 set. 2015.

FORQUIN, J. C. Sociologia da Educação: dez anos de pesquisa. Petrópolis: Vozes, 1995.

GOLDTHORPE, J. Problems of ‘Meritocracy’. In: HALSEY, H. A. et al (Org.) Education: Culture, Economy, Society. Oxford: Oxford University Press, 1997. p. 688-702

GOLDTHORPE, J.; JACKSON, M. Education Based Meritocracy: e Barriers to its Realization. In: LAREAU, A.; CONLEY, D. (Ed.) Social class: how does it work? New York: Russell Sage Foundation, 2008, p. 93-116.

GOUVEIA, A. P. Acesso e permanência nos cursos de graduação da UFRJ: o Centro de Filoso!a e Ciências Humanas. 2004. 202 f. Dissertação (Mestrado em Antropologia) – Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2004.

GRIPP, G. Políticas educacionais e as políticas de currículo do ensino superior. In: BARBOSA, M. L. (Org.). Ensino Superior: Expansão e Democratização. Rio de Janeiro: Editora 7 Letras, 2014. p. 177-214.

HERINGER, R.HONORATO, G: Políticas de permanência e assistência no ensino superior público e o caso da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) In: BARBOSA, M. L. (Org.). Ensino Superior: Expansão e Democratização. Rio de Janeiro: Editora 7 Letras, 2014, p 264-296

JENCKS, C. et al. Inequality: A Reassessment of family and Schooling in America, New York, Basic Books, 1972.

MAINARDES, J.; GANDIN, L. A. Contributions of Stephen J. Ball to the research on educational and curriculum policies in Brazil. London Review of Education, v. 11, n. 3, p. 256-264, 2013.

MARTINS, Carlos Benedito NOTAS SOBRE A FORMAÇÃO DE UM SISTEMA TRANSNACIONAL DE ENSINO SUPERIOR Caderno CRH, Salvador, v. 28, n. 74, p. 291-308, maio/ago. 2015. Disponível em: . Acesso em: 9 set. 2015.

MARTINS, F. dos; MACHADO, D. C. Determinantes do acesso ao ensino superior no Brasil e a probabilidade de sucesso por curso. Economia – Texto para discussão 317, Rio de Janeiro, p. 1-26, 2015. Disponível em: http://www.proac.u+.br/econ/sites/default/!les/u+_td317.

pdf>. Acesso em: 9 set. 2015.

MOEHLECKE, S. Ação afirmativa: história e debates no Brasil. Cadernos de Pesquisa, n. 117, p. 197-217, nov. 2002. Disponível em: . Acesso em: 9 set. 2015.

MOREIRA, A. M. A. Público e privado no ensino superior: uma análise comparativa por características institucionais. In: BARBOSA, M. L. (Org.). Ensino Superior: Expansão e Democratização. Rio de Janeiro: Editora 7 Letras, 2014. p. 155-176.

NEVES, C. E. B.; ANHAIA, B. Políticas de Inclusão Social no Ensino Superior no Brasil: políticas de redistribuição de oportunidades? Reexões a partir das experiências em IES do Rio Grande do Sul. In: BARBOSA, M. L. (Org.). Ensino Superior: Expansão e Democratização.

Rio de Janeiro: Editora 7 Letras, 2014. p. 371-402.

OLIVEIRA, M. P. P de O. et al. em 2014. Rede de pesquisa: formação e mercado de trabalho: coletânea de artigos: volume IV, formação de profissionais das áreas de Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática (CTEM). Brasília: ABDI: IPEA, 2014. v. 4. Disponível em:

PAUL, J. J.; VALLE-SILVA, N. do. Conhecendo o seu lugar: a auto-seleção na escolha da Carreira. Revista Brasileira de Política e Administração da Educação, Brasília, n. 14, v. 14, p. 115-130, 1998.

PRATES, A. A. P. Universidades VS Terceirização do Ensino Superior: a lógica da expansão do acesso com manutenção da desigualdade. O caso brasileiro. Sociologias, ano 9, n. 17, p. 102-123, jan./jun. 2007.

______.; BARBOSA, M. L. A expansão e as possibilidades de democratização do ensino superior no Brasil. Caderno CRH [Online], v. 28, p. 327-340, 2015.

______.; FALEIRO, M. S. Os efeitos Diferenciais do tipo de instituição de Ensino Superior sobre o Prestígio dos seus Egressos no Mercado de Trabalho. In: BARBOSA, M. L. (Org.). Ensino Superior: Expansão e Democratização. Rio de Janeiro: Editora 7 Letras, 2014. p. 129-154.

PREDES, R. et al: A nova expansão de cursos de graduação – presenciais e a distância – em Serviço Social no Brasil e em Alagoas no contexto da Política de Ensino Superior do Governo Federal no período 2003 a 2010. In: BARBOSA, M. L. (Org.). Ensino Superior: Expansão e Democratização. Rio de Janeiro: Editora 7 Letras, 2014. p. 273-286.

RIBEIRO, C. A. C.; CENEVIVA, R.; BRITO, M. Estrati"cação educacional entre jovens no Brasil:1960 a 2010. In: ARRETCHE, M. (Org.). Trajetórias das desigualdades: como o Brasil mudou nos últimos 50 anos. São Paulo: Ed. Unesp/CEM, 2015. p. 335-364.

SAMPAIO, H. O setor privado de ensino superior no Brasil: crescimento, mercado e Estado entre dois séculos. In: BARBOSA, M. L. (Org.). Ensino Superior: Expansão e Democratização. Rio de Janeiro: Editora 7 Letras, 2014. p. 103-126.

SANTOS, C. T. A chegada ao ensino superior: o caso dos bolsistas do ProUni da PUCRio. 2011. 176 f. Dissertação (Mestrado em Sociologia e Antropologia) – Programa de Pós-graduação em Sociologia e Antropologia, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de

Janeiro, 2007.

______. A chegada ao ensino superior: o ProUni na PUC-Rio. In: BARBOSA, M. L. (Org.). Ensino Superior: Expansão e Democratização. Rio de Janeiro: Editora 7 Letras, 2014.

p. 351-370.

SCHOFER, E.; MEYER, J. !e Worldwide Expansion of Higher Education in the Twentieth Century, American Sociological Review, v. 70, n. 6, p. 898-920, dec. 2005.

SCHWARTZMAN, S. A universidade primeira do Brasil: entre intelligentsia, padrão internacional e inclusão social. Estud. av. [online], São Paulo, v. 20, n. 56, p. 161-189, jan./abr. 2006. Disponível em: . Acesso em: 9 set. 2015.

Solivellas Pereló, J: Pedagogia do Estágio: Experiências de formação, Belo Horizonte, PUCMG, 1998.

TILLY, C. Durable Inequality. Berkeley: University of California Press, 1998.

TINTO, V. Classrooms as Communities: exploring the educational character of student persistence. !e Journal of Higher Education, v. 68, n. 6, p. 599-623, 1997.

VARGAS, H. O Reuni na Universidade Federal Fluminense: aspectos da interiorização. In:BARBOSA, M. L. (Org.). Ensino Superior: Expansão e Democratização. Rio de Janeiro: Editora 7 Letras, 2014. p. 289-314.

ZAGO, N. Do acesso à permanência no ensino superior: percursos de estudantes universitários de camadas populares Revista Brasileira de Educação, v. 11 n. 32, p. 226-237, maio/ago. 2006.




DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7984.2015v14n31p256

Direitos autorais 2016 Política & Sociedade

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 Visite nossa página no Facebook:

https://www.facebook.com/revistapoliticaesociedade/

Creative Commons License

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.
Revista Política & Sociedade - ISSNe 2175-7984
Florianópolis - SC - Brasil

CNPq CAPES