Models of Reduction

Otávio Bueno

Abstract


Neste artigo, examino três modelos de redução. O primeiro, e mais restritivo, foi desenvolvido por Ernest Nagel como parte do programa empirista lógico. O segundo, articulado por Jerry Fodor, embora sendo significativamente mais amplo, é incapaz de dar sentido a uma característica saliente da prática científica. O terceiro modelo, que é também o mais condescendente, é desenvolvido empregando-se a abordagem baseada em estruturas parciais proposta por Newton da Costa e Steven French. Argumento que este terceiro modelo preserva os benefícios da proposta de Fodor e é ainda capaz de acomodar aspectos relevantes da prática científica. Em particular, ele oferece uma concepção de redução sem reducionismo, e descreve a relação entre a teoria que é reduzida e a que reduz por meio de mapeamentos não precisos e estruturas parciais — mesmo na presença de informação incompleta.




DOI: https://doi.org/10.5007/1808-1711.2009v13n3p269

Copyright (c)

 http://www.periodicos.ufsc.br/public/site/images/jconte/logo-nel1_154

Principia: an internationnal journal of epistemology
Published by NEL - Epistemology and Logic Research Group
Federal University of Santa Catarina - UFSC
Center of Philosophy and Human Sciences – CFH
Campus Reitor João David Ferreira Lima
Florianópolis, Santa Catarina - Brazil
CEP: 88040-900

 ISSN: 1414-4217
EISSN: 1808-171

e-mail: principia@contato.ufsc.br