(Trans)tornando a norma cisgênera e seus derivados

Felipe Cazeiro, Emilly Mel Fernandes, Marlos Alves Bezerra

Resumo


Este artigo de revisão teórica tem como objetivo abordar a cisgeneridade, ou o termo
cisgênero, e sua ramificação nas interações cotidianas de modo a compreender as inteligibilidades que a acompanham, bem como os efeitos que são (re)produzidos. O pensamento de Foucault e de algumas autoras trans foi o referencial teórico utilizado para a investigação científica dos regimes de verdade, da produção de resistência e de experiências éticas e estéticas. Assim, foi possível demonstrar os atravessamentos percebidos entre discursos e biopolíticas que modulam formas de ser e de estar no mundo, convocando novos avanços para os estudos de gênero e sexualidades, além de expor importantes elementos para os processos de subjetivação e da busca de problematização da cisgeneridade para reconhecer a importância da utilização do termo para uma análise mais igual da experiência humana.


Palavras-chave


Cisgeneridade; Transexualidade; Gênero; Biopolíticas

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.1590/1806-9584-2019v27n254397

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 Licença Creative Commons
A Revista Estudos Feministas está sob a licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

 

Revista Estudos Feministas, ISSN 1806-9584, Florianópolis, Brasil.