Armadilhas da culpabilização materna

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/1806-9584-2020v28n265236

Palavras-chave:

Feminismo, Maternidade, Gênero

Resumo

É contra o império dos filhos que a autora chilena Lina Meruane constrói seu argumento em seu mais recente trabalho publicado no Brasil. Contra os filhos é uma diatribe ácida que problematiza os papéis sociais de gêneros reservados para as mulheres, os rumos do feminismo e sua relação com cada vez extensa responsabilização da mulher pelo cuidado com os filhos. É revisitando o ideal do dever-ser-da-mulher e se apropriando de figuras como a mãe-ecologica e a super-mãe que Meruane tenta demonstrar como as crescentes recomendações para a maternidade tem ecos no confinamento da mulher ao lar. Em um texto que passa longe de academicismos, a autora promove uma discussão cada vez mais necessária e atual porém deixa um rastro de dúvida e culpabilização. Afinal, diante do tal império dos filhos a culpa é das mães?

Biografia do Autor

Alana Aragão Ávila, Universidade Federal de Santa Catarina

Graduada em psicologia pela Universidade Federal do Ceará.
Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social - Universidade Federal de Santa Catarina.
Bolsista da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal Nível Superior, CAPES, Brasil.

Referências

BADINTER, Elizabeth. O Conflito: a mulher e a mãe. Trad. de Vera Lúcia dos Reis. Rio de Janeiro: Editora Record, 2011.

BADINTER, Elizabeth. Um amor conquistado: o mito do amor materno. Trad. de Waltensir Dutra. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1985.

BEAUVOIR, Simone de. O segundo sexo: fatos e mitos. 3. ed. Trad. de Sérgio Milliet. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, [1949] 2016.

BUTLER, Judith. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. 8. ed. Trad. de Renato Aguiar. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2015.

FIDALGO, Lurdes. (Re)construir a maternidade numa perspectiva discursiva. Lisboa: Instituto Piaget, 2003.

MERUANE, Lina. Contra os filhos. Trad. de Paloma Vidal. São Paulo: Todavia, 2018.

NUNES, Silvia Alexim. O corpo do diabo entre a cruz e a caldeirinha: Um estudo sobre a mulher, o masoquismo e a feminilidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2000.

ORTNER, Sherry. “Está a mulher para a natureza assim como o homem para a cultura?”. In: ROSALDO, Michelle Z.; LAMPHERE, Louise (Orgs.). Mulher, Cultura e Sociedade. Trad. de Cila Ankier e Rachel Gorenstein. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979, p. 95-120.

ROHDEN, Fabíola. “Feminismo do Sagrado: uma reencenação romântica da diferença”. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 4, n. 1, p. 96-117, 1996.

Downloads

Publicado

2020-09-16

Edição

Seção

Resenhas