A contribuição das famílias e mulheres aos cuidados não remunerados com a saúde no Uruguai

Karina Batthyany, Natalia Genta, Valentina Perrotta

Resumo


Considerando o crescente protagonismo dos cuidados na agenda pública y de pesquisa no Uruguai, o presente artigo está focado em um tipo de cuidado prestado de forma não remunerada que requer mais atenção: o cuidado não remunerado em saúde. Este estudo se propõe a responder às seguintes questões: Quem se responsabiliza pelos custos do cuidado não remunerado em saúde no Uruguai? Qual é o perfil das pessoas cuidadoras não remuneradas em saúde? A quem cuidam? Que vínculo mantém com o sistema institucional de saúde? Para tal propósito, a investigação usa informação proveniente da Encuesta Nacional de Cuidados No Remunerados en Salud (Questionário Nacional de Cuidados Não Remunerados em Saúde), realizada pelo Grupo de Investigación Sociología de Género, do qual as autoras são integrantes. Tal questionário, representativo da população uruguaia, está baseado em uma amostra de duas etapas e estratificado por nível socioeconómico, em que foram consultados 1.198 lares sobre a realização de cuidados não remunerados em saúde. Se demonstra que o cuidado em saúde é realizado principalmente por integrantes do lar, e de forma não remunerada. As mulheres são as principais cuidadoras em saúde, o que mostra a divisão sexual do trabalho existente nestas tarefas. Por sua vez, são as mulheres de mais idade que se dedicam principalmente a esses cuidados, e esta é uma característica particular que diferencia os cuidados com a saúde dos cuidados não remunerados cotidianos.

Palavras-chave


Gênero; Cuidado; Saúde; Uso do Tempo; Trabalho Não Remunerado

Texto completo:

PDF (Español (España))


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

 

Rev. Estud. Fem., ISSN 1806-9584, Florianópolis, Brasil.