Como adolescentes apreendem a ciência e a profissão de cientista?

Gabriela Reznik, Luisa Medeiros Massarani, Marina Ramalho, Maria Ataide Malcher, Luis Amorim, Yurij Castelfranchi

Resumo


As representações midiáticas exercem importante influência na percepção de meninas
sobre o universo científico. Neste trabalho, buscamos compreender de que forma mulheres
adolescentes enxergam a ciência, as cientistas e os cientistas, a partir de discussões conduzidas por meio da técnica de grupos focais, estimuladas pela assistência de matérias dos programas Jornal Nacional e Fantástico, da Rede Globo. Realizamos quatro grupos focais com estudantes do 2º ano do Ensino Médio de escolas públicas e privadas no Rio de Janeiro. Entre as percepções que emergiram nas discussões com as estudantes sobre a atividade científica, destacamos: a vinculação da ciência a conteúdos da disciplina de ciências, oferecida no Ensino Fundamental, e de biologia; a associação da ciência à experimentação e à descoberta; e a visão de ciência como acúmulo de conhecimento que tende a um crescimento linear. Não identificamos diferenças marcantes nas percepções das adolescentes de distintas classes sociais. Por utilizar uma abordagem qualitativa – pouco explorada em estudos sobre percepção pública da C&T –, este estudo pode contribuir para um entendimento mais aprofundado sobre a percepção de adolescentes sobre a atividade científica.


Palavras-chave


Divulgação Científica; Percepção Pública da Ciência; Estereótipo do Cientista; Mulheres; Adolescentes

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.1590/%25x

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 Licença Creative Commons
A Revista Estudos Feministas está sob a licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

 

Revista Estudos Feministas, ISSN 1806-9584, Florianópolis, Brasil.