Redefinindo as fronteiras do póscolonial. O feminismo cigano no século XXI

Caterina Alessandra Rea

Resumo


Este texto pretende apresentar o fenômeno do feminismo romani (cigano) que, a partir do começo do século XXI, está se desenvolvendo em vários países europeus e das Américas com a intenção de empoderar as mulheres ciganas no seio das comunidades e da sociedade majoritária. Desenvolvendo uma perspectiva interseccional em termos de gênero, raça e classe, as autoras ciganas, ativistas e acadêmicas, se colocam em diálogo com as correntes feministas pós-coloniais, em particular, com o feminismo negro e chicano norteamericanos. Nesta ótica, o feminismo romani propõe uma redefinição das fronteiras do póscolonial, enfatizando novos espaços de subalternidade e de luta, e atravessando territórios geográficos-simbólicos que costumamos pensar como centrais e hegemônicos.


Palavras-chave


feminismo romani; gênero; interseccionalidade; raça; pós-colonial

Texto completo:

PDF


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

 

Estudos Feministas, ISSN 0104-026X, Florianópolis, Brasil.