Mulheres atletas de futsal: estratégias de resistência e permanência no esporte

Autores

  • André Luiz dos Santos Silva Universidade Feevale Centro Universitário Metodista do Sul - IPA Universidade Feevale, Rio Grande do Sul
  • Patrícia Andrioli Nazário Rede Municipal de Ensino de Novo Hamburgo

DOI:

https://doi.org/10.1590/%25x

Palavras-chave:

Futsal, Gênero, Esporte

Resumo

Apoiado nos pressupostos teórico/metodológicos da “História Oral” e dos “Acervos Pessoais”, este texto analisa o protagonismo de um grupo de mulheres atletas na construção de uma das melhores equipes de Futsal Feminino do Brasil, nos anos 2000. Ao forjarem uma rede de estratégias que investiu em participação em eventos sociais, vínculos com patrocinadores, criação e manutenção de escolinhas pedagógicas e na conquista de espaços midiáticos, as atletas se posicionaram como sujeitos daquela prática e, com isso, problematizaram as clássicas representações do Futsal, cujos sentidos são permeados por marcas de masculinidade. Ao mesmo tempo em que tensionam os atravessamentos de gênero no esporte, investem em um meticuloso processo de vigília que incide normativamente sobre seus corpos e suas condutas.

Biografia do Autor

André Luiz dos Santos Silva, Universidade Feevale Centro Universitário Metodista do Sul - IPA Universidade Feevale, Rio Grande do Sul

Doutor em Ciências do Movimento Humano (UFRGS), docente nos cursos de Educação Física e Pedagogia da Universidade Feevale; docente nos cursos de Educação Física do Centro Universitário Metodista - IPA

Patrícia Andrioli Nazário, Rede Municipal de Ensino de Novo Hamburgo

Licenciada e Bacharel em Educação Física pela Universidade Feevale. É professora da rede municipal de ensino de Novo Hamburgo/RS.

Downloads

Publicado

2018-04-24

Edição

Seção

Artigos Temáticos