Migrantes por amor? Ciclo de vida, gênero e a decisão de migrar em diferentes fases da vida

Viviane Assunção

Resumo


Este artigo mostra a importância do curso de vida, entrelaçado à perspectiva de
gênero, para analisar os processos de tomada de decisão de mulheres brasileiras sobre
migrar (ou não) para a Holanda para viverem com seus companheiros holandeses. Segundo as
interlocutoras de uma pesquisa etnográfica realizada entre 2012 e 2013, a idade é um importante fator a ser considerado para ponderar os riscos, vantagens e desvantagens da migração. Além da faixa etária, outros marcadores do curso de vida, como ter filhas/os, o nascimento das/os netas/os e a idade destes indivíduos também são considerados em suas decisões. O artigo também traz as considerações das interlocutoras da pesquisa sobre o amor, que, segundo elas, difere a cada fase da vida. Mais do que o amor por seus companheiros holandeses, elas evidenciam e reificam a idealização do amor materno.


Palavras-chave


Migração; Casamentos Interculturais; Ciclo de Vida; Faixa Etária; Gênero

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.1590/%25x

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 Licença Creative Commons
A Revista Estudos Feministas está sob a licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

 

Revista Estudos Feministas, ISSN 1806-9584, Florianópolis, Brasil.