Devir-mulher e educação múltipla: cartografias clariceanas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/1806-9584-2021v29n371499

Palavras-chave:

devir-mulher, corpo poético-político, educação múltipla, Clarice.

Resumo

O texto movimenta cartografias intensivas com a arte literária de Clarice Lispector ao encontro da construção de sentidos para uma educação múltipla. A partir dos percursos rizomáticos das mulheres clariceanas, visa romper com antigas representações que legitimam o ‘ser mulher’ segundo as leis do patriarcado. Estas veredas levam a maquinar o conceito de educação múltipla nos entremeios da filosofia da diferença, com Deleuze e Guattari, e das ressonâncias do pensamento pós-feminista, como Beauvoir e Butler, de modo a tecer as relações entre arte-gênero-educação por conexões rizomáticas e encontros intensivos com as potências feministas do devir-mulher, da escrita clariceana e os devires poético-políticos como possibilidade de fabular espaços de liberdade nas artes de viver e educar.

Biografia do Autor

Gilcilene Dias da Costa, Universidade Federal do Pará

Gilcilene Dias da Costa (costagilcilene@gmail.com) é professora da Universidade Federal do Pará (UFPA). Doutora e Mestra em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (PPGEDU/UFRGS). Coordenadora do PPG em Educação e Cultura (PPGEDUC/UFPA). Docente do PPG de Doutorado em Educação da Amazônia (PGEDA). Pesquisadora nas áreas de filosofia da diferença, cartografias literárias, devir-mulher, estudos queer, feministas, gênero, sexualidade, antropofagia e educação.

Fabíola de Fátima Igreja, Universidade Federal do Pará

Fabíola de Fátima Igreja (gusmaofabi@gmail.com) é mestra em Educação e Cultura pelo Programa de Pós-Graduação em Educação e Cultura (PPGEDUC-UFPA) na qualidade de Bolsista CAPES. Licenciada em Letras - Habilitação em Língua Portuguesa (CUNTINS/UFPA). Membro do grupo de pesquisa ANARKHOS - Micropolíticas, Arte-Performance e Experimentações Literárias na Educação (CNPq/UFPA). Membro do Coletivo de Mulheres Sumanas (CUNTINS/UFPA).

Referências

BEAUVOIR, Simone de. O segundo sexo: a experiência vivida. São Paulo: Difusão europeia do livro, 1967.

BUTLER, Judith. Problemas de Gênero: feminismo e subversão da identidade. 15. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2017.

DELEUZE, Gilles. Crítica e clínica. São Paulo: Ed. 34, 1997.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil Platôs: capitalismo e esquizofrenia, v. 4. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1997.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Kafka: por uma literatura menor. São Paulo: Assírio e Alvim, 2003.

GALLO, Silvio. Deleuze & a Educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2003.

LISPECTOR, Clarice. Água Viva. Rio de Janeiro: Rocco, 1998a.

LISPECTOR, Clarice. A paixão segundo G.H.. Rio de Janeiro: Rocco, 2009.

LISPECTOR, Clarice. Crônicas para jovens: de escrita e de vida. Rio de Janeiro: Rocco Jovens Leitores, 2010.

LISPECTOR, Clarice. Laços de Família. Rio de Janeiro: Rocco, 1998b.

LISPECTOR, Clarice. Um sopro de vida. Rio de Janeiro: Rocco, 1999.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pós-estruturalista. Petrópolis: Vozes, 1997.

NASCIMENTO, Evando. Clarice Lispector: uma literatura pensante. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2012.

RAGO, Margareth. “‘mulher cordial’: feminismo e subjetividade”. Verve: revista semestral autogestionária do Nu-sol, São Paulo, n. 6, p. 279-296, fev. 2004.

SALIH, Sara. Judith Butler e a teoria Queer. Belo Horizonte: Autêntica, 2015.

STIGGER, Veronica. O útero do mundo. São Paulo: Man, 2016.

Downloads

Publicado

2021-12-10

Edição

Seção

Artigos