Medicina, gênero e mídia: O programa Mulher da TV Globo

L. Graciela Natansohn

Resumo


Assim como as identidades culturais são impensáveis fora do processo de representação
(e da política de representação), as idéias sobre o médico, a saúde e a enfermidade, e ainda
acerca da mulher e dos papéis femininos em relação à saúde, também estão vinculadas aos
dispositivos midiáticos de construção das imagens sociais. Entendemos que o programa Mulher, da
Rede Globo de Televisão, condensou bem os imaginários sobre a medicina e a saúde feminina
provenientes do campo da disciplina médica. Contudo, estes são subordinados às regras do discurso
televisivo sem, com isso, perder sua eficácia apelativa e sua intenção pedagógica e medicalizante.
Analisamos como a intervenção médica representada no seriado tematiza o lugar da mulher no
mundo social.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.1590/%25x

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 Licença Creative Commons
A Revista Estudos Feministas está sob a licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

 

Revista Estudos Feministas, ISSN 1806-9584, Florianópolis, Brasil.