AÇÕES AFIRMATIVAS NO SISTEMA EDUCACIONAL: TRAJETÓRIAS DE JOVENS NEGRAS DA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA

Wivian Weller, Marly Silveira

Resumo


http://dx.doi.org/10.1590/S0104-026X2008000300013

O presente artigo apresenta experiências vividas por jovens universitárias que ingressaram pelo sistema de cotas na Universidade de Brasília nos cursos de Engenharia e Ciências Sociais e que apresentam distintas trajetórias de socialização escolar. Analisa as experiências vividas nesses espaços assim como as estratégias diferenciadas no que diz respeito ao enfrentamento do preconceito e da discriminação. Apresenta ainda as avaliações realizadas pelas jovens a respeito da implementação de cotas para estudantes negros nas universidades públicas. Concordamos que não adianta a medida ser justa e estar de acordo com os imperativos da justiça social se ela não produz resultados. As cotas não representam a única forma de luta por reconhecimento e redistribuição, mas refletem a importância e a necessidade de uma modificação mais profunda na gramática dos discursos no interior da universidade e no atendimento das demandas políticas e sociais.


Palavras-chave


Ações afirmativas; Universidade; Negros e educação; Juventude; Gênero

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-026X2008000300013

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 Licença Creative Commons
A Revista Estudos Feministas está sob a licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

 

Revista Estudos Feministas, ISSN 1806-9584, Florianópolis, Brasil.