A BATALHA DE DURBAN

Autores

  • Sueli Carneiro Geledés/Instituto da Mulher Negra

DOI:

https://doi.org/10.1590/S0104-026X2002000100014

Palavras-chave:

Conferência da ONU, organização negra, mulheres negras, racismo, afrodescendente

Resumo

O artigo registra as principais iniciativas de organização do movimento negro para a III Conferência contra o Racismo. Especial destaque é dado à Articulação de Organizações de Mulheres Negras Brasileiras pró-Durban, cuja presença marcante no processo garantiu conquistas importantes nos documentos finais, tanto da Conferência das Américas (em dezembro de 2000) como da Conferência de Durban (agosto/setembro de 2001). A partir da participação nessa Articulação, a autora discute as contradições e conflitos que emergiram no debate entre as nações presentes à Conferência, evidenciando seus nexos com o racismo, o colonialismo e a expansão econômica do Ocidente. Ao mesmo tempo, esboça sua visão sobre os ganhos políticos que a Conferência representou para mulheres e homens negros da diáspora, especialmente na América Latina, e os desafios que se colocam para a superação do fosso que os separa dos brancos no Brasil.

Downloads

Publicado

2002-01-01

Edição

Seção

Dossiê