A costela de Adão: diferenças sexuais a partir de Lévinas

Autores

  • Carla Rodrigues Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.1590/S0104-026X2011000200004

Palavras-chave:

Feminino, Alteridade, Ética

Resumo

Este artigo apresenta o pensamento de Emmanuel Lévinas sobre o feminino e sobre as diferenças sexuais para explorar o que Jacques Derrida chama de duas possibilidades de leitura de Lévinas. A primeira, androcêntrica, identifica a tradicional separação hierárquica entre masculino e feminino. Na segunda possibilidade de leitura, Derrida enxerga em Lévinas a ampliação do feminino para além da mulher, amplificando as proposições levinasianas do feminino como abertura à alteridade. Lévinas faz do feminino uma figura privilegiada da ética e da alteridade. Derrida partirá desse pensamento levinasiano do feminino para pensar em hospitalidade incondicional, radicalizando essa ideia de abertura ao outro.

Biografia do Autor

Carla Rodrigues, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro

Doutora em Filosofia (PUC-Rio), é professora agregada do Departamento de Comunicação Social da PUC-Rio. É vice-coordenadora do Laboratório Khôra de Filosofias da Alteridade (UFRJ) e pesquisadora do Núcleo de Estudos sobre Ética e Desconstrução (PUC-Rio). É autora, entre outros trabalhos, do livro Coreografias do feminino (Editora Mulheres, 2009).

Downloads

Publicado

2011-01-01

Edição

Seção

Artigos