Escolas mistas, escolas normais: a coeducação e a feminização do magistério no século XIX

Autores

  • June E. Hahner State University of New York at Albany

DOI:

https://doi.org/10.1590/S0104-026X2011000200010

Palavras-chave:

Coeducação, Educação Feminina, Feminização do Magistério

Resumo

A presente discussão objetiva explorar aspectos históricos sobre o lugar da coeducação no momento em que o magistério primário passou da ocupação majoritariamente masculina, em meados do século XIX, para a ocupação feminina, no século XX. A educação de meninas e a feminização do magistério, ocorridas ainda no século XIX, são analisadas no fluxo das reformas que aconteceram no final do século XIX e só podem ser entendidas a partir da ideia de modernização instaurada no país, na transição do século XIX para o século XX.

Biografia do Autor

June E. Hahner, State University of New York at Albany

é doutora em História pela Universidade de Cornell e professora titular (aposentada) do Departamento de História da Universidade Estadual de Nova York, em Albany, onde foi a primeira diretora do programa de estudos sobre a mulher. Entre os seus livros destacam-se Emancipação do sexo feminino: a luta pelos direitos da mulher no Brasil, 1850-1940; Pobreza e política: os pobres urbanos no Brasil, 1870-1920; A mulher brasileira e suas lutas sociais e políticas, 1850-1937; A mulher no Brasil; e Relações entre civis e militares no Brasil, 1889-1898, além de outros livros publicados nos Estados Unidos e vários artigos e capítulos de livros publicados nos dois países.

 

Downloads

Publicado

2011-01-01

Edição

Seção

Dossiê