Ser professora, ser mulher: um estudo sobre concepções de gênero e sexualidade para um grupo de alunas de pedagogia

Autores

  • Ana Paula Costa Faculdade de Americana
  • Paulo Rennes Marçal Ribeiro Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho

DOI:

https://doi.org/10.1590/S0104-026X2011000200011

Palavras-chave:

Relações de Gênero, Sexualidade, Pedagogia

Resumo

Este trabalho tem por objetivo investigar as concepções de relações de gênero de um grupo de alunas do curso de Pedagogia que já atuam na educação escolar como professoras. Para a realização desta pesquisa qualitativa, de tipologia analítico-descritiva, foi utilizada uma entrevista semiestruturada com as universitárias escolhidas. A construção e a análise do objeto têm como fundamentação teórica os estudos de Michel Foucault, Joan Scott e Guacira Lopes Louro. Constatamos que, em um processo de “acomodação” e “resistência”, as categorias “mulher” e “professora” se fundem, o que obscurece, em certa medida, a atuação da professora como profissional da educação.

Biografia do Autor

Ana Paula Costa, Faculdade de Americana

É professora de Sociologia, Antropologia e Filosofia da Faculdade de Americana. Possui graduação em Ciências Sociais, especialização em Psicopedagogia e mestrado em Educação Escolar pela Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (UNESP), onde integra o Núcleo de Estudos da Sexualidade (NUSEX).

Paulo Rennes Marçal Ribeiro, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho

É doutor em Saúde Mental pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e livre-docente em Sexologia e Educação Sexual pela Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (UNESP), onde é professor do Programa de Pós-Graduação em Educação Escolar e coordenador do Núcleo de Estudos da Sexualidade (NUSEX). Foi um dos fundadores e vice-coordenador do GT 23 “Gênero, Sexualidade e Educação” da ANPED.

Downloads

Publicado

2011-01-01

Edição

Seção

Dossiê