Superando barreiras e preconceitos: trajetórias, narrativas e memórias de atletas negras

Cláudia Maria de Farias

Resumo


O trabalho reafirma a importância dos estudos de gênero para a compreensão dos processos históricos contemporâneos através dos quais se deram a inserção, a permanência e a ampliação da participação das mulheres no campo esportivo brasileiro, entre os anos 1960 e 1970. Através das narrativas orais de duas atletas negras – Eliane Pereira de Souza e Aída dos Santos –, são examinadas as múltiplas intersecções do gênero com outros componentes de diferenciação social, como classe, raça/etnia e geração, fundamentais para a reconstrução das experiências que marcaram os projetos, as carreiras, as trajetórias e as memórias dessas mulheres durante a vigência da Ditadura Militar brasileira.


Palavras-chave


Atletas Negras; Mulheres e Esporte; Relações de Gênero; Emancipação Feminina

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-026X2011000300014

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 Licença Creative Commons
A Revista Estudos Feministas está sob a licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

 

Revista Estudos Feministas, ISSN 1806-9584, Florianópolis, Brasil.