Superando barreiras e preconceitos: trajetórias, narrativas e memórias de atletas negras

Autores

  • Cláudia Maria de Farias Universidade Federal Fluminense

DOI:

https://doi.org/10.1590/S0104-026X2011000300014

Palavras-chave:

Atletas Negras, Mulheres e Esporte, Relações de Gênero, Emancipação Feminina

Resumo

O trabalho reafirma a importância dos estudos de gênero para a compreensão dos processos históricos contemporâneos através dos quais se deram a inserção, a permanência e a ampliação da participação das mulheres no campo esportivo brasileiro, entre os anos 1960 e 1970. Através das narrativas orais de duas atletas negras – Eliane Pereira de Souza e Aída dos Santos –, são examinadas as múltiplas intersecções do gênero com outros componentes de diferenciação social, como classe, raça/etnia e geração, fundamentais para a reconstrução das experiências que marcaram os projetos, as carreiras, as trajetórias e as memórias dessas mulheres durante a vigência da Ditadura Militar brasileira.

Biografia do Autor

Cláudia Maria de Farias, Universidade Federal Fluminense

Possui graduação em História pela Universidade Federal Fluminense (UFF, 1986), especialização em História do Brasil Republicano pela Universidade Candido Mendes (UCAM, 2001) e mestrado em História Social pela Universidade Federal Fluminense (UFF, 2005). Atualmente, é doutoranda no Programa de Pós-Graduação em História da UFF, onde desenvolve pesquisa sobre a emancipação social das mulheres brasileiras nos esportes. É bolsista nota 10 da FAPERJ.

 

Downloads

Publicado

2012-03-19

Edição

Seção

Seção Temática