Notas sobre a relação família-escola na contemporaneidade

Autores

  • Fábio Kalil Souza Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe (IFS), Aracaju/SE

DOI:

https://doi.org/10.5007/2178-4582.2017v51n1p124

Resumo

O desenvolvimento de qualquer ser humano pode ser concebido de forma intercontextual. Durante sua existência ele atravessa, mormente, dois inquestionáveis contextos de desenvolvimento: a família e a escola. Compreender como essas agências atuam, separadas e interconectadas, nesse processo de vir-a-ser do indivíduo é fundante para deseclipsar o assunto. A relação entre elas passa a ser o foco. Este artigo, de natureza teórica, apresenta um estudo não exaustivo da relação família-escola. A partir da revisão bibliográfica como metodologia, que inclui resultados de pesquisas nacionais e estrangeiras, o autor transita na temática descrevendo as principais contribuições das investigações. Concluiu-se que a relação família-escola, tomada como imprescindível ao desenvolvimento dos sujeitos, é carregada de ambivalências, conflitos, assimetrias, contradições, mas também de cooperação, de parceria e de complementaridade de ações, a depender de como se dá o jogo inter-relacional entre os envolvidos e a presença de fatores socioculturais diversos.

Biografia do Autor

Fábio Kalil Souza, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe (IFS), Aracaju/SE

Fábio Kalil Souza é pedagogo do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe, mestre em Educação pela Universidade Federal da Bahia-UFBA.Endereço: Rua Tobias Barreto, n. 538, Centro. Lagarto-SE. CEP 494000-000

Referências

BRONFENBRENER, U. (1996). A ecologia do desenvolvimento humano: experimentos naturais e planejados. Porto Alegre: Artes Médicas.

DESSEN, M. A. e POLONIA, A. C. (2007). A família e a escola como contextos de desenvolvimento humano. Universidade de Brasília-UnB, Brasil, Paidéia, 17(36), pp. 21-35. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/paideia/v17n36/v17n36a03.pdf>. Acesso em 07 de outubro de 2014.

EPSTEIN, J. L.(1986). Parents´ reaction to teacher practices of parent involvement. The Elementary School Journnal, 86, 277-294. In: Polonia, A. C. e Dessen, M. A. (2005). Em busca de uma compreensão das relações entre família e escola. Psicologia Escolar e Educacional, v. 9, n. 2, 303-312. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/pee/v9n2/v9n2a12.pdf>. Acesso em: 21 de agosto de 2014.

OLIVEIRA, C. B. E de e MARINHO-ARAÚJO, C. M. A relação família-escola: intersecções e desafios. Revista Estudos de Psicologia. Brasília: 2010, p. 99-108. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/estpsi/v27n1/v27n1a12.pdf>. Acesso em 14 de outubro de 2014.

PETRINI, J. C. Pós-modernidade e família: um itinerário de compreensão. São Paulo: EDUSC, 2003.

SILVA, P. Escola-família: uma relação armadilha. Porto: Edições Afrontamento.

Szymanski, H. (2001). A relação família-escola: desafios e perspectivas. Brasília: Plano.

Downloads

Publicado

2017-11-16

Edição

Seção

Artigos