A genealogia como método histórico de análise de práticas e relações de poder

Kleber Prado Filho

Resumo


A questão metodológica é da maior importância nas análises históricas de Michel Foucault, tanto que em diferentes momentos da sua produção acadêmica e intelectual ele desenvolve, aplica e literalmente experimenta diferentes estratégias e problematizações metodológicas, propostas em termos de arqueologia do saber, genealogia do poder e genealogia da ética. Mas falar em métodos no contexto dos estudos históricos do autor é problemático à medida que não há propostas unitárias, com procedimentos fixos definidos a priori, mas indicações, regras de prudência, problematizações e estratégias móveis, aplicáveis a diferentes problemas e questões, em diferentes situações e contextos. A reflexão apresentada neste artigo percorre trajetórias metodológicas em alguns estudos genealógicos de Foucault, não no sentido de compor um método fixo e unitário mas de apontar possibilidades de aplicação metodológica a partir de uma perspectiva genealógica. Esta reflexão pretende ainda destacar decorrências políticas do emprego de estratégias genealógicas de análise.

Palavras-chave


Genealogia; Método genealógico; Michel Foucault

Texto completo:

PDFA

Referências


FOUCAULT, M. “Nietzsche, a genealogia e a história”. In: MACHADO, R. (Org.). Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Graal, 1984, p.15-37.

____________. Vigiar e punir. Petrópolis: Vozes, 1987.

____________. História da sexualidade I: A vontade de saber. Rio de Janeiro: Graal, 1988.

____________. “O sujeito e o poder”. In: RABINOW, P. & DRYFUS, H. M. Foucault: uma trajetória filosófica. Rio de Janeiro: Forense-Universitária, 1995, p.231-249.

PRADO FILHO, K. “Uma história crítica da subjetividade no pensamento de Michel Foucault”. In: FALCÃO, L.F. & SOUZA, P. (Orgs.). Michel Foucault: perspectivas. Rio de Janeiro: Achiamé, 2005, p.41-50.

PRADO FILHO, K. “Uma Genealogia das práticas de normalização nas sociedades ocidentais modernas”. In: CAPONI, S.; VERDI,M.; BRZOZOWSKY, F.S. & HELLMANN, F. (Orgs.). Medicalização da vida: Ética, saúde pública e indústria farmacêutica. Palhoça: EDUNISUL, 2010, p.183-191.

PRADO FILHO, K. & TETI, M.M. A cartografia como método para as ciências humanas e sociais. Barbaroi (UNISC. Online), v.1, p.45-59, 2013




DOI: https://doi.org/10.5007/2178-4582.2017v51n2p311

Direitos autorais 2017 Kleber Prado Filho

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

R. Ci. Hum. Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, ISSNe 2178-4582

Creative Commons License Todo o conteúdo do periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons

 

.