A morte como fim do projeto de ser: um estudo dos últimos anos de Sartre

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2178-4582.2019.e58214

Palavras-chave:

Projeto de Ser, Jean-Paul Sartre, Escolhas, Morte

Resumo

Ao abordar a temática que envolve a morte como fim do projeto de ser, este estudo propõe analisar a terminalidade humana. Para tanto, iniciará introduzindo os princípios essenciais da psicologia fenomenológica existencialista sartreana. Sendo assim, deve-se observar como se dá o processo de construção do projeto de ser, compreendendo que todo indivíduo tem esse projeto em seu viver e o mesmo só terá fim quando o ser se encontra com a morte. Portanto deve-se observar que na existência humana todo ser é um ser-para-a-morte, pois desde que lançado ao mundo ele passa a ter uma possibilidade de não estar mais aí. Desse modo, o estudo dos últimos anos de Sartre contidos no livro “A cerimônia do adeus” (2012) pode ajudar a compreender todo esse processo de construção de projeto de ser, bem como conhecer o ser-para-a-morte no caminho de finitude do escritor existencialista.

Biografia do Autor

Wagner Alexandre Lara, Escola superior de Criciúma, Criciúma/SC, Brasil

Formado em Bacharel em Psicologia pela Escola Superior de Criciúma-ESUCRI, Pós-Graduação em Docência no Ensino Superior pelo Centro Universitário Leonardo da Vinci-UNIASSELVI. 

Ismael Ferreira, Escola superior de Criciúma, Criciúma/SC, Brasil

Formado em Psicologia pela UNESC, Pós-Graduação em Psicologia Fenomenológica Existencialista Sartreana na UNISUL.
Docente na Esucri e na Formação em Psicologia Existencialista do Centro de Desenvolvimento e Integração Humana Simone de
Beauvoir.

Referências

BEAUVOIR, Simone. A cerimônia do adeus - edição especial-. Rio de Janeiro: nova fronteira,2012.

CASTRO, Fernando Gastal de; ZANELLI, José Carlos. Síndrome de burnout e projeto de ser. Cadernos de Psicologia Social do Trabalho, São Paulo, v. 10, p.17-33, 2007. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/cpst/article/view/25798. Acesso em: 01 set. 2017.

CASTRO, Fernando Gastal de; EHRLICH, Irene Fabrícia. Introdução à psicanálise existencial: existencialismo, fenomenologia e projeto de ser. Curitiba Pr: Juruá, 2016. 250 p.

EHRLICH, Irene Fabrícia. Contribuições do “Projeto de Ser” em Sartre para a Psicologia de Orientação Profissional. 232 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Psicologia., Centro de Filosofia e Ciências Humanas Programa de Pós-graduação em Psicologia, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2002. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/83679/223397.pdf?sequence=1. Acesso em: 01 set. 2017.

FISCHER, Joyce Mara Kolinski. Manual de tanatologia -21ªed- Curitiba: Gráfica e Editora Unificado, 2007.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. -4ed- São Paulo: atlas,2002.

HEIDEGGER, Martin. Ser e tempo. 13. ed. Petrópolis: Vozes, 2005.

KOVÁCS, Maria Julia. A caminho da morte com dignidade no século XXI. Revista Bioética, Brasília, v. 22, p.94-104, 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/bioet/v22n1/a11v22n1.pdf. Acesso em: 01 set. 2017.

KUBLER – ROSS, Elisabeth. Sobre a morte e o morrer: o que os doentes terminais tem para ensinar a médicos, enfermeiras, religiosos e aos seus próprios parentes. São Paulo: Wmf Martins Fontes, 2008

MENEZES, Tânia Maria de Oliva; LOPES, Regina Lúcia Mendonça. Significados do vivido pela pessoa idosa longeva no processo de morte/morrer e luto. Ciência & Saúde Coletiva, Salvador Ba, p.3309-3316, 29 jul. 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v19n8/1413-8123-csc-19-08-03309.pdf. Acesso em: 03 out. 2017.

PAPALIA, Diane E.; FELDMAN, Ruth Duskin. Desenvolvimento humano. 12. ed. Porto Alegre: Amgh, 2013. 800 p.

ROTHSCHILD, Daniela e CALAZANS, Rauflin Azevedo. Morte-Abordagem Fenomenológica-existencial. In Morte e Desenvolvimento Humano. 5ª ed São Paulo Casa do Psicólogo, São 2008.

SANTOS, Elionésia Marta dos; SALES, Catarina Aparecida. Familiares enlutados: compreensão fenomenológica existencial de suas vivências. Texto & Contexto - Enfermagem, Florianópolis SC, v. 20, p.214-222, 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tce/v20nspe/v20nspea27.pdf. Acesso em: 03 out. 2017.

SARTRE, Jean-Paul. As Palavras. 3. ed. São Paulo: Difusão Europeia do Livro, 1967.

SARTRE, Jean-Paul. Esboço para uma teoria das emoções. Porto Alegre: L&pm editores, 2008.

SARTRE, Jean-Paul. O existencialismo é um humanismo. 3. ed. Petrópolis Rj: Vozes, 2014.

SARTRE, Jean-Paul. O ser e o nada. 24. ed. Petrópolis: Vozes, 2015.

SILVA, José Cordero da. O fim da vida: uma questão de autonomia. Nascer e Crescer, Porto, v. 23, p.100-105, 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v19n8/1413-8123-csc-19-08-03309.pdf. Acesso em: 01 set. 2017.

SCHNEIDER, Daniela Ribeiro. Sartre e a psicologia clínica. Florianópolis: UFSC, 2011.

Downloads

Publicado

2021-06-24

Edição

Seção

Artigos