"Por um feminismo que queima cuecas": um estudo semiolinguístico da crítica teatral digital

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1807-9288.2017v13n2p54

Palavras-chave:

Crítica Teatral, Semiolinguística, Ciberespaço, Sociedade Em Rede, Sujeito

Resumo

Este trabalho tem o objetivo de analisar o contrato comunicacional de uma crítica teatral digital. Para tanto, partimos de postulações da Teoria Semiolinguística, principalmente das noções de sujeitos da linguagem e estratégias enunciativas presentes em Charaudeau (2001 [1984], 2005 [1983] e 2015 [1983; 1992]). O texto conta ainda com pensadores sobre a crítica teatral, tais como Garcia (2004) e Small (2015), bem como de teóricos que refletem sobre as modificações comunicacionais advindas das novas tecnologias, como Lévy (1999) e Castells (2000). Por meio da análise apreendida foi possível constatar que os sujeitos produzem atos de linguagem operando no nicho dos profissionais do teatro e da escrita crítica, do público teatral e de estudiosos ou interessados dessas duas áreas. A conclusão é de que o sujeito comunicante do corpus em estudo se apresenta como gatewatcher (BRUNS, 2003) e como uma enunciadora compreendida como uma crítica teatral ignorante (SMALL, 2015), por comunicar para todo tipo de público.

Biografia do Autor

Mariana Pinter Chaves, Universidade Federal do Espírito Santo

Mestranda em Estudos Linguísticos com ênfase em Análise do Discurso. Bolsista CAPES. Especialista em Gestão Cultural pelo Centro Universitário SENAC - SP.

Vanessa Maia Barbosa de Paiva, Universidade Federal de São João del-Rei

Professora e pesquisadora do Curso de Comunicação Social - Jornalismo da Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ/MG). Jornalista, mestre em Comunicação, Imagem e Informação (Uff/RJ), Doutora em Educação (UFES) e pós-doutoranda em Educação UERJ/RJ. Membro do Grupo de Pesquisa Currículos, Narrativas Audiovisuais e Diferença (UERJ/RJ).

Priscila Natany Resende, Universidade Federal de São João del-Rei

Graduada em Jornalismo com ênfase em Jornalismo Cultural. Graduanda em Teatro pela Universidade Federal de São João del-Rei.

Referências

BRUNS, A. Gatewatching, not gatekeeping: Collaborative online news. Media International Australia Incorporating Culture and Policy: quarterly 107 journal of media research and resources, 107, pp. 31-44, 2003. Disponível em: <http://eprints.qut.edu.au/189/>. Acesso em: 20 out. 2014.

CASTELLS, M. A sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra, 2000.

CHRISTOFOLETTI, Rogério; LAUX, Ana Paula França. Confiabilidade, credibilidade e reputação: no jornalismo e na blogosfera. Revista Brasileira de Ciências da Comunicação, São Paulo, 2008.

CHARAUDEAU, P. Uma teoria dos sujeitos da linguagem. In: Análise do discurso: fundamentos e práticas. MARI, Hugo; MACHADO, Ida Lúcia; MELLO, Renato de. (Org.). Belo Horizonte: NAD/FALE- UFMG, 2001. p. 23 – 38. (Primeira publicação na Revista Langages et Sociétè, Paris, n.28, Maison des Sciences de l’Homme, jun. 1984)

______. Uma análise semiolinguística do texto e do discurso. In: Da língua ao discurso: reflexões para o ensino. PAULIKONIS, Maria Aparecida; GAVAZZI, Sigrid. (Org.). Rio de Janeiro: Lucerna, 2005. p. 11 – 29. (Do original inicialmente publicado na Revista Langagens, mar. 1995).

______. Linguagem e discurso: modos de organização. 2. ed. São Paulo: Contexto, 2014. (Obra elaborada em convênio com o Centre d’Analyse du Discours para a comunidade brasileira a partir de CHARAUDEAU, 1983; 1992.)

GARCIA, M. C. Reflexões sobre a crítica teatral nos jornais: Décio de Almeida Prado e o problema da apreciação da obra artística no jornalismo cultural. São Paulo: Mackenzie, 2004.

GONÇALVES, L. R. Os Lugares da Crítica da Arte. São Paulo: Imprensa Oficial, 2005.

LÉVY, P. Cibercultura. São Paulo: Edições 34, 1999.

LYSARDO-DIAS, Dylia. As contribuições de Patrick Charaudeau para o desenvolvimento da AD no Brasil. In: de PAULA, L.; STAFUZZA, G. (Org.). Da análise do discurso no Brasil à análise do discurso do Brasil: três épocas histórico-analíticas. Uberlândia: EDUFU, 2010.

MACHADO, Ida Lúcia. Algumas reflexões sobre a Teoria Semiolinguística. Revista Letras & Letras, Uberlândia, 2006, v.22, n.2, p. 13-21, 2006.

MICHALKSI, Y. O Declínio da crítica na imprensa brasileira. Publicado originalmente nos Cadernos de Teatro do Tablado, na edição de número 100, jan/jun, 1984. Disponível em: <http://bancadetexto.blogspot.com/2010/01/o-declinio-da-critica-naimprensa.html>. Acesso em: 05/08/2014.

SERELLE, M. V. A crítica do entretenimento no jornalismo cultural. Revista Comunicação Midiática, v.7, n.2, 2012.

SILVA, José Otacílio da. Charaudeau. In: Estudos do discurso: perspectivas teóricas. OLIVEIRA, Luciano Amaral (Org.). São Paulo: Parábola Editorial, 2013.

SMALL, D. A. O crítico ignorante. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2015.

Downloads

Publicado

2017-12-21

Edição

Seção

Artigos