Tudo isso é do baralho: tecnoestese e infocognição (da ordem e dos predicados dos acoplamentos na circunstância contemporânea)

Sérgio R. Basbaum

Resumo


Ao aferir as consequências mais radicais do pensamento mcluhaniano, conquistamos um ponto de experiência, ou de existência, a partir do qual se pode ultrapassar o nível ingênuo que prescreve uma "ética da utilização" das tecnologias para "bons fins". Temos então uma nova "inversão copernicana", que é a nossa relação com os aparelhos modulando as transformações na nossa relação com o mundo, seus processos, os outros e as coisas -- relação que não seria inapropriado chamarmos de "percepção", e que é fundamento de sua própria ética. O artigo define os conceitos de (1) tecnoestése: a circunscrição, no corpo, de um domínio particular das operações perceptivas, nos acoplamentos incontornáveis à circunstância midiática; e (2) infocognição: o domínio particular das condutas que daí emergem -- gestos, linguagem, formas culturais, práticas econômicas, etc, sintomas que revelam o sentido embutido no DNA dos aparelhos. Busca-se, por meio destes conceitos, jogar com certas cartas do pensamento Ocidental para propor alguns modos de pensar, nesta chave, tais acoplamentos e suas consequências para a interpretação da circunstância contemporânea.

Palavras-chave


Percepção; Cognição; Sentido; Cultura Digital; Semântica

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/1807-9288.2018v14n1p6



Direitos autorais 2018 Sérgio R. Basbaum

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Texto DigitalUniversidade Federal de Santa CatarinaFlorianópolisSanta Catarina, Brasil. ISSNe 1807-9288

 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.