Algoritmos, viralização e contágio psíquico: o agravamento da industrialização do espírito

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1807-9288.2020v16n2p93

Palavras-chave:

Internet, Imaginário, Simbólico, Google Trends, Dataísmo

Resumo

O artigo apresenta os algoritmos da rede social Facebook e da plataforma Google e os relaciona com a problemática do dataísmo propondo-se a refletir sobre esta relação e os processos de eclosão de conteúdos simbólicos específicos do Imaginário, por um lado, e, por outro, o que poderíamos chamar de estratégias de contágio psíquico. Sabendo ser possível identificar esses processos de irrupção simbólica em indicadores como o G. Trends e Facebook ads, analise-se a utilização destes dados por instituições (Google e Facebook e seus clientes) em estratégias de sugestão e de manobra das pautas sociais, bem como das afetividades que essas pautas convocam. Diante disso, utiliza-se como método a análise descritiva da ferramenta Google Trends e Facebook ads, discutindo seu uso para os Estudos do Imaginário.

Biografia do Autor

Malena Contrera, UNIP-SP

Malena Segura Contrera é doutora em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2001). Realizou pós-doutorado na Universidade Federal do Rio de Janeiro, sob supervisão do Prof. Dr. Muniz Sodré (bolsa CNPq, 2007-2008) e estágios de pesquisa em Sevilha, Espanha, sobre Política da Comunicação (2000), em Viena, Áustria, sobre Multiculturalismo e Mídia (1998) e em Berlin, Alemanha, sobre Mimese e Rituais Mediáticos (2010). É também especialista em Psicologia Junguiana (FACIS-IJEP, 2013) e terapeuta junguiana. Atualmente é professora titular dos cursos de mestrado e doutorado em Comunicação da Universidade Paulista. Foi durante vários anos (até 2006) professora da Faculdade de Comunicação e Artes da Universidade Presbiteriana Mackenzie, onde implantou e coordenou o curso de Jornalismo (1999 a 2004). Seus interesses de pesquisa são Teoria da Comunicação, Culturas Arcaicas, Cultura Contemporânea, Mídia Eletrônica (televisão em especial), Mitologia e Psicologia Junguiana. É autora dos livros O mito na mídia (1996), Mídia e Pânico (2002), Jornalismo e Realidade (2004), Mediosfera (2010) e de diversos outros artigos e capítulos de livros em coletâneas e revistas científicas, tanto no Brasil como no Chile e na Espanha. É membro do Centro Interdisciplinar de Pesquisas em Semiótica da Cultura e da Midia, da PUC/SP (CISC) desde sua fundação (1992), e atual líder do Grupo de Pesquisa em Mídia e Estudos do Imaginario, da UNIP (desde 2005). É bolsista de produtividade em pesquisa do CNPq.

Leonardo Torres, UNIP

Doutor em Comunicação e Cultura Midiática da Universidade Paulista de São Paulo. Foi Bolsista CAPES PROSUP. É também mestre em Comunicação pela mesma universidade. No mestrado, foi gratificado com Bolsa da CAPES PROSUP - dedicação exclusiva. É Representante Discente no Doutorado. Pós-graduando em Psicologia Analítica pelo Instituto Junguiano e Ensino e Pesquisa. Possui graduação em Comunicação Social com ênfase em Publicidade e Propaganda pelas Faculdades Dom Bosco do Rio de Janeiro. Produziu eventos como TEDxAEDB, IX Simpósio da ABCiber e VI ComCult. Pesquisa o imaginário técnico e tecnológico, a tecnossacralidade e suas relações na sociedade e na cultura. E também, pesquisa o Contágio Psíquico e Imaginário. É membro do Grupo de Pesquisa Mídia e Imaginário. E ainda, é/foi docente na pós-graduação e na graduação em Universidades de São Paulo. ReseacherID: G-7222-2018.

Referências

AMADEU, S. Tudo Sobre Todos: redes digitais, privacidade e venda de dados pessoais. São Paulo: Ed. Sesc, 2017.

BAITELLO JUNIOR, N. O animal que parou os relógios. São Paulo: Annablume, 1999.

BENJAMIN, W. O Capitalismo como Religião. São Paulo: Boitempo, 2013.

BEZERRA, B. B.; COSTA, J. S. F. Agendamento Íntimo: a viralização das notícias de celebridades. Revista Temática. Ano IX, n. 7, 2013.

CARR, N. A Geração Superficial: o que a internet está fazendo com os nossos cérebros. Rio de Janeiro: Agir, 2011.

CASTELLS, Manuel. A Sociedade em Rede. 8. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2000.

CHOI, H.; VARIAN, H. ‘Predicting Initial Claims for Unemployment Insurance Using Google Trends’, Technical report Google, 2009. Disponível em: http://research.google.com/archive/papers/initialclaimsUS.pdf. Acesso em: 15 jul. 2020.

CHOI, H.; VARIAN, H. Predicting the Present with Google Trends. The Economic Record. v. 88. 2012. doi: 10.1111/j.1475-4932.2012.00809.x. Disponível em: https://static.googleusercontent.com/media/www.google.com/pt- BR//googleblogs/pdfs/google_predicting_the_present.pdf. Acesso em: 15 set. 2018.

CONTEÚDO Google Trends. 2018. Disponível em: https://www.dropbox.com/sh/ane4532wf48jbja/AAD-9YpzR4WMQ9D_cnUUncKga?dl=0. Acesso em: 20 jul. 2020.

CONTRERA, M. S.; TORRES, L. O zumbi no imaginário mediático: Zumbi e Pulsão de Morte na Sociedade Mediática. E-Compós. v. 22, n. 1, 2018. Disponível em: https://www.e-compos.org.br/e-compos/article/view/1599. Acesso 22 jul. 20.

CONTRERA, M.; TORRES, L. Imaginário e Contágio Psíquico. Revista Intexto. n.40. 2017. Disponível em: http://seer.ufrgs.br/index.php/intexto/article/view/73671/43474. Acesso 22 jul. 2020.

CONTRERA, M.; TORRES, L. SOB AS ASAS DE TÂNATOS: o que a obsessão pelo tema da morte revela. COMPÓS, 2019. Disponível em: http://www.compos.org.br/biblioteca/trabalhos_arquivo_BYW4RJLIFVMEA3F5DTZ3_28_7342_13_02_2019_12_43_30.pdf. Acesso em: 08 ago. 2020.

CONTRERA, M. S. Zumbis, vampiros e seres da cultura mediática. Revista Líbero. São Paulo, v. 18, n. 36, p. 9-14, 2015. Disponível em: https://casperlibero.edu.br/wp-content/uploads/2015/12/TC.-MALENA-CONTRERA.pdf. Acesso em: 20 jul. 2020.

DAMÁSIO, A. O Mistério da Consciência. São Paulo: Cia. das Letras, 2000.

DURAND, G. As estruturas antropológicas do imaginário. Introdução à arquetipologia geral. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

ELIAS, N. O Processo Civilizador: uma história dos costumes. Vol. 1. Rio de Janeiro: Zahar, 1994a.

ELIAS, N. O Processo Civilizador: formação do estado e civilização. Vol. 2. Rio de Janeiro: Zahar, 1994b.

FREUD, S. A psicoterapia da histeria. Rio de Janeiro: Imago, 1980.

G1 Gabriela Pugliesi. 2020. Disponível em: https://g1.globo.com/pop-arte/noticia/2020/04/27/perfil-de-gabriela-pugliesi-no-instagram-sai-do-ar.ghtml. Acesso em: 10 jul. 2020.

GOOGLE Conferência. Step Inside AdWords Livestream. 2018. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=_5eXnF5RdFI. Acesso em: 20 set. 2018.

GOOGLE Flu Trends. 2018. Disponível em: https://www.google.org/flutrends/about/. Acesso em: 20 set. 2018.

GOOGLE Trends Answer. 2018. Disponível em: https://support.google.com/trends/answer/4359550. Acesso em: 1 ago. 2020.

GOOGLE Trends e Compra de Bitcoin. 2020. Disponível em: https://trends.google.com.br/trends/explore?date=today%205-y&q=buy%20bitcoin. Acesso em: 20 jul. 2020.

GOOGLE Trends e Compra de Ouro. 2020. Disponível em: https://fortune.com/2017/11/07/bitcoin-asset-buy-gold-cme/. Acesso em: 20 jul. 2020.

HARARI, Y. N. 21 Lições para o século 21. São Paulo: Companhia das Letras, 2018.

HARARI, Y. N. Homo Deus: uma breve história do amanhã. São Paulo: Companhia das Lestas, 2016.

HISTÓRIA do Google. 2020. Disponível em: https://olhardigital.com.br/noticia/google-historia-curiosidades-e-tudo-que-voce-precisa-saber-sobre-o-buscador/80732 Acesso 15 jul 2020. Acesso em: 10 fev. 2020.

IDEIA Big Data/Avaaz. 2019. Disponível em: https://www.brasil247.com/brasil/84-dos-eleitores-de-bolsonaro-acreditam-no-kit-gay-diz-pesquisa. Acesso em 20 jul. 2020.

JUNG, C. G. A Natureza da Psique. Disponível em: http://bit.ly/2BfWXeS. Acesso 22 nov. 2017.

JUNG, C. G. Aspectos do drama contemporâneo. Petrópolis: Vozes, 2011b.

JUNG, C. G. O espírito na arte e na ciência. Petrópolis: Vozes, 2011c.

JUNG, C. G. O Eu e o Inconsciente. Petrópolis: Vozes, 2011a.

JUNG, C. G. Símbolos da Transformação. Petrópolis: Editora Vozes, 1995.

JUNG, C. G. A Vida Simbólica. Petrópolis: Editora Vozes, 2013.

KAMPER, D. Corpo. Acesso em: 10 de set de 2015.

KAMPER, D. O Trabalho Como Vida. Ana Blume: São Paulo, 1998.

LAZER, David et al. The Parable of Google Flu: Traps in Big Data Analysis. Science. v. 343, n. 6176, p. 1203-1205, 2018. DOI: 10.1126/science.1248506. Disponível em: http://science.sciencemag.org/content/sci/343/6176/1203.full.pdf. Acesso em: 20 set. 2016.

MEEKER, M. Internet Trends 2018. 2018. Disponível em: https://pt.slideshare.net/kleinerperkins/internet-trends-report-2018-99574140. Acesso em: 01 jul. de 2020.

MIKLOS, Jorge. Ciber-religião: A construção de vínculos religiosos na cibercultura. 1a. ed. São Paulo: Ideias e Letras, 2012.

MORIN, E. Cultura de massas no século XX. São Paulo: Forense-Universitária, 1990.

MORIN, E. O Enigma do homem: para uma nova antropologia. Rio de Janeiro, Zahar, 1975.

MORIN, E. O Método V: A Humanidade da Humanidade: a identidade humana. Trad. Juremir Machado da Silva. 5aed. Porto Alegre: Sulina. 2012.

MORIN, E. O paradigma perdido - a natureza humana. Lisboa: Publ. Europa-América, 1975.

MORIN, E. Sônambulos. 2020. Disponível em: https://www.fronteiras.com/entrevistas/seguimos-como-sonambulos-e-estamos-indo-rumo-ao-desastre-diz-edgar-morin. Acesso em 20 jul. 2020.

NEUMANN, E. História da origem da consciência. São Paulo: Cultrix, 2014.

PORTELA, K. G. B.; MARQUES, M. G. Produção cultural na internet: colaboração, consumo e interação comunicativa. Campo Grande: XVII Intercom, 2015.

RIBEIRO, M. A. et al. As marcas na onda da viralização. Manaus: XXXVI Intercom, 2013.

ROSA, F. G.; TORRES, L. . Contágio Imaginário: comoções coletivas da Grande Mãe nos rituais marianos. Paulus: Revista de Comunicação da FAPCOM, v. 4, n. 7, 2020.

RÜDIGER, F. Introdução às Teorias da Cibercultura: perspectivas do pensamento tecnológico contemporâneo. Porto Alegre: Sulina, 2007.

SEIFTER, Ari; SCHWARZWALDER, Alison, GEIS, Kate; AUCOTT, John. The utility of “Google Trends” for epidemiological research: Lyme disease as an example. Revista Geospatial Health. v. 4, n. 2, p. 135-137, 2010. Disponível em: http://www.geospatialhealth.net/index.php/gh/article/view/195. Acesso em: 06 fev. 2018.

SERASA Experian. 2019. Disponível em: https://www.serasaexperian.com.br/sala-de- imprensa/hitwise-divulga-top-10-buscadores-preferidos-por-usu%25c3%25a1rios-de-internet-em- julho-no-brasil-9. Acesso em: 02 jun. 2020.

SILVA, M. R. TROMPE-L?OEIL: (in)visibilidade da Umbanda na cultura brasileira. Revista Líbero, v. 22, p. 44-55, 2019. Disponível em: http://seer.casperlibero.edu.br/index.php/libero/article/view/1092/1060. Acesso em: 20 jul. 2020.

SILVA, S. P. Comunicação digital, economia de dados e a racionalização do tempo: algoritmos, mercado e controle na era dos bits. Revista Contracampo, v. 38, n. 1, 2018. Disponível em: http://ctpol.unb.br/wp-content/uploads/2019/07/2019_SILVA_Contracampo.pdf. Acesso em: 10 ago. 2020.

SILVA, Nelito Falcão. Marketing viral: quando os internautas são a melhor propaganda. 2008. 171 f. Dissertação (Mestrado em Teorias e Tecnologias da Comunicação) – Universidade de Brasília, Brasília, 2008.

SILVA, A. N. Unboxing Pandora: o imaginário sobre o universo feminino das Influenciadoras Digitais brasileiras. Tese apresentada a Universidade Paulista. Ano de obtenção: 2020.

SODRÉ, M. Antropológica do espelho: uma teoria da comunicação linear e em rede. Petrópolis/RJ: Vozes, 2013.

TORRES, Ton. O Fenômeno dos Memes. 2017. Disponível em: http://cienciaecultura.bvs.br/pdf/cic/v68n3/v68n3a18.pdf. Acesso em: 22 jun. 2020.

VIRILIO, P. Velocidade e Política. São Paulo: Estação Liberdade, 1996.

WAAL, F. A Era da Empatia. São Paulo: Cia. das Letras, 2012.

WENG, L. et al. Competition among memes in a world with limited attention. Scientific Reports, v. 2, n. 335, 2012. Disponível em: http://www.nature.com/scientificreports. Acesso em: 22. Nov. 2017.

Downloads

Publicado

2020-12-22