Por uma abordagem de construções complexas em perspectiva construcional

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-8420.2020v21n1p102

Palavras-chave:

Modelos baseados no uso, Gramática de construções, Redes de herança, Construções adverbiais, Construções encaixadas

Resumo

A construção como pareamento simbólico de forma e sentido é entidade teórica que representa um esquema abstrato capaz de reunir semelhanças entre construções de mesma natureza. Sob a perspectiva dos Modelos Baseados no Uso, a Gramática de Construções tem servido mais à exploração da estrutura argumental de construções simples. Pouca atenção tem sido dispensada a construções complexas. Neste artigo, focalizamos dois processos de combinação de orações, tratando-os dentro de dois esquemas construcionais que organizam redes hierárquicas por relações de herança múltiplas: (i) [[[CONECT(ivo)] ORAÇÃOI] ORAÇÃOJ]; (ii) [[ARG(umento)] [PRED(icado)]]. Procuramos mostrar que o primeiro esquema pode abrigar microconstruções adverbiais diversas, enquanto o segundo dá conta do arranjo de construções argumentais complexas de natureza argumental variada. Argumentamos que a organização dos esquemas está baseada na analogização, que envolve a extração de propriedades formais/funcionais de uma fonte que se reforçam mutuamente, propiciando a emergência de novos esquemas construcionais e novas representações abstratas. Considerando que a extração de propriedades é um processo contínuo, assumimos que as redes estão em constante mudança e reconfiguração. Evidenciamos, assim, a adequação da abordagem construcional para o tratamento também de construções complexas.

Biografia do Autor

Sebastião Carlos Leite Gonçalves, UNESP - Universidade Estadual Paulista Câmpus de São José do Rio Preto Departamento de Estudos Linguísticos e Literários

Processor Assistente Doutor, nível II, do Departamento de Estudos Linguísticos e Literários. Atua no ensino de graduação e Pós-graduação. Vincula-se às linhas de pesquisa "Descrição e análise funcional de línguas falada e escrita" e "Variação e mudança linguística".  Bolsista produtividade em pesquisa do CNPq, nível 2.

Taísa Peres de Oliveira, UFMS - Universidade Federal do Mato Grosso do Sul Câmpus de Três Lagoas

Professora Associada da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul, Câmpus de Três Lagoas. Atua na área de linguística e língua portuguesa na graduação e de pós-graduação. Vincula-se à linha de pesquisa "Análise, descrição e documentação de línguas naturais". É líder do Grupo de Estudos Sociofuncionalistas, cadastrado no CNPq.

Referências

BARLOW, Michael; KEMMER, Suzanne. Introduction: a usage-based conception of language. In: BARLOW, Michael; KEMMER, Suzanne (ed.). Usage based models of language. Stanford: CSLI Publications, 2000. p. 7-25.

BISPO, Edvaldo Balduíno. Relativa restritiva em perspectiva construcional. Revista EntrePalavras, v. 8, p. 28-44, 2018.

BYBEE, J. Língua, uso e cognição [Trad. Maria Angélica Furtado da Cunha; Sebastião Carlos Leite Gonçalves]. São Paulo: Cortez, 2016.

CAMACHO, Roberto Gomes; HATTNHER, Marize Mattos Dall’Aglio; GONÇALVES, Sebastião Carlos Leite. O substantivo. In: ILARI, Rodolfo. (Org.). Palavras de classe aberta. Gramática do português falado culto no Brasil. 2ed. São Paulo: Contexto, 2014, v. III. p. 13-56.

CASSEB-GALVÃO, Vânia Cristina. O achar no português do Brasil: um caso de gramaticalização? 1999. 159f. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1999.

CEZARIO, Maria Maura; SILVA, Thiago dos Santos.; SANTOS, Monique dos. Formação da construção [X que]conec no português. E-scrita, v. 6, n. 3, p. 229-243, 2015.

CROFT, W. Radical Construction grammar: syntactic theory in typological perspective. Oxford: Oxford University Press, 2001.

DAVIES, Mark. Corpus do português. [s.d.]. Disponível em https://www.corpusdoportugues.org. Acesso em 11 nov. 2019.

FURTADO DA CUNHA, Maria Angélica; CHAVES, Aline dos Santos Silva. A construção SN+V+SN NU e o processo cognitivo de chunking. Odisseia, v. 4, n. esp., p. 62-88, 2019.

GOLDBERG, Adele. Constructions: a construction grammar approach to argument structure. Chicago: Chicago of University Press, 1995.

GOLDBERG, Adele. Constructions: a new theoretical approach to language. Trends in Cognitive Sciences, v. 7, n.5, p. 219-224, 2003.

GONÇALVES, Sebastião Carlos Leite. Gramaticalização, modalidade epistêmica e evidencialidade. 2003. 240f. Tese (Doutorado em Linguística) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2003.

GONÇALVES, Sebastião Carlos Leite. Banco de dados Iboruna: amostras eletrônicas do português falado no interior paulista. 2007. Disponível em http://www.iboruna.ibilce.unesp.br. Acesso em 20 set. 2019.

GONÇALVES, Sebastião Carlos Leite. Posição de sujeito e objeto em construções complexas subjetivas. Revista LinguíStica, v. Especial, p. 192-215, 2016.

GONÇALVES, Sebastião Carlos Leite. Construções complexas no português sob perspectiva construcional. In: BISPO, Edvaldo Balduíno.; ROSÁRIO, Ivo da Costa do. (Org.). Pesquisas contemporâneas em Descrição do Português. Niterói: GT Descrição do Português/Anpoll, 2018a. p. 89-122. Disponível em: https://descricaodoportugues.blogspot.com/p/obra.html. Acesso em 12 dez. 2019.

GONÇALVES, Sebastião Carlos Leite. Construções de alçamento no PB e restrições morfossintáticas. In: FURTADO DA CUNHA, Maria Angélica; BISPO, Edvaldo Balduíno; SILVA, José Romerito (Org.). Variação e mudança em perspectiva construcional. Natal: Editora da UFRN, 2018b. p. 251-283.

HAIMAN, J. The iconicity of grammar: isomorphism and motivation. Language, v. 56, p. 515-540, 1980.

HIRATA-VALE, Flávia Bezerra de Menezes. A expressão da condicionalidade no português escrito do Brasil: contínuo semântico-pragmático. 2005. Tese (Doutorado em Linguística e Língua Portuguesa) – Universidade Estadual Paulista, Araraquara, 2005.

LANGACKER, R. Foundations of cognitive grammar: theoretical prerequisites. Stanford: Stanford University Press, 1987. v. 1.

LIMA-PARREIRA, Ana Caroline de. Investigação diacrônica de construções complexas formadas por [[achar] + [predicação não verbal]]. 2018. 194f. Tese (Doutorado em Estudos Linguísticos) – Universidade Estadual Paulista, São José do Rio Preto, 2018.

LYONS, J. Semantics. Cambridge: Cambridge University Press, 1977.

OLIVEIRA, Taísa Peres de. Conjunções adverbiais no português. Revista de Estudos da Linguagem, v. 22, p. 45-66, 2014.

OLIVEIRA, Taísa Peres de. A construção condicional em português. Revista de Letras, v.2, n.38, p. 1-19, 2019a.

OLIVEIRA, Taísa Peres de. As bases conceituais dos conectores condicionais em português. Odisseia, v. 4, n. esp., p. 194-210, 2019b.

OLIVEIRA, Taísa Peres de; HIRATA-VALE, Flávia Bezerra de Menezes. A condicionalidade como zona conceitual. Delta, São Paulo, v. 33, n. 1, p. 291-313, 2017.

ROSARIO, Ivo da Costa do; CAMPOS, Daniele Cristina. Construções correlatas substitutivas contrastivas - uma análise funcional centrada no uso. Odisseia, v. 4, n. esp., p. 154-172, 2019.

TRAUGOTT, Elizabeth; TROUSDALE, Graeme. Constructionalization and constructional changes. Oxford: Oxford University Press, 2013.

TROUSDALE, Graeme. Words and constructions in grammaticalization: the end of the impersonal construction. In: FITZMAURICE, Susan; MINKOVA, Donka (ed.). Studies in the History of the English Language: empirical and analytical advances in the study of English language change. Berlim/N.Y: Mounton de Gruyter, 2008. p. 301-326. v. IV.

Downloads

Publicado

2020-07-28