Leitura em ambiente hospitalar: uma experiência com o livro “A culpa é das estrelas”

Autores

  • Adriane Teresinha Sartori Universidade Federal de Minas Gerais
  • Daniervelin Renata Marques Pereira Universidade Federal de Minas Gerais
  • Mariotides Gomes Bezerra

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-8420.2020v21n2p160

Palavras-chave:

Escola hospitalar, Crianças e adolescentes privados de liberdade, Leitura, Letramento literário

Resumo

Este artigo analisa uma experiência de leitura literária realizada em escola hospitalar, tema distante dos currículos de cursos de licenciatura de ensino superior. A pesquisa, baseada em pressupostos teóricos de letramento literário (COSSON, 2006) e em abordagens metodológicas qualitativas da área educacional, enfoca a leitura do livro A Culpa é das Estrelas, projeto desenvolvido em 2018 com sete alunos em privação de liberdade em hospital público de Belo Horizonte. Os meandros do processo de sua realização foram registrados em diário de campo e permitem-nos constatar os desafios vividos por sujeitos que leram um texto de temática de imensa proximidade com suas próprias vidas, fato que os conduziu a posturas de adesão e de distanciamento, compartilhadas discursivamente em rodas de conversa. Mais do que o registro de uma experiência bem-sucedida de leitura, os resultados desvelam o rico e intenso mundo das crianças e adolescentes internados em hospitais, realidade invisível para quase todos os professores.

Referências

ALMEIDA, Eliana Guimarães. Literatura juvenil sob a ótica de leitores adolescentes de meios populares. Literatura juvenil sob a ótica de leitores adolescentes de meios populares. 2019. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2019.

AMARAL, Daniela Patti do, SILVA, Maria Teresinha Pereira e. Formação e prática pedagógica em classes hospitalares: respeitando a cidadania de crianças e jovens enfermos. Disponível em: http://www.gestaoescolar.diaadia.pr.gov.br/arquivos/File/pdf/formacaopedagogicaclasseshospitalares.pdf. Acesso em: 25 jan. 2020.

BRASIL. Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (CONANDA). Resolução nº 41, de 13 de outubro de 1995. Brasília: Imprensa Oficial. Disponível em: https://www.mpdft.mp.br/portal/pdf/unidades/promotorias/pdij/Legislacao%20e%20Jurisprudencia/Res_41_95_Conanda.pdf Acesso em: 25 de jan. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Especial. Classe hospitalar e atendimento pedagógico domiciliar: estratégias e orientações. Brasília: MEC; SEESP, 2002. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/livro9.pdf Acesso em: 25 jan. 2020.

BRASIL. Secretaria Geral. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Lei nº 13.716, de 24 de setembro de 2018. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2018/Lei/L13716.htm Acesso em: 25 jan. 2020.

BORTONI-RICARDO, Stella Maris. O professor pesquisador: introdução à pesquisa qualitativa. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

CADERMATORI, Lígia. O professor e a literatura: para pequenos, médios e grandes. 2. ed. Belo Horizonte: Ed. PUCMinas, 2012.

CALDIN, Clarice Fortkamp. A leitura como função terapêutica: Biblioterapia. Encontros Bibli: Revista Eletrônica de Biblioteconomia. Florianópolis, n. 12, p. 32-44, 2001.

CÂNDIDO, Antônio. O direito à Literatura. In: CÂNDIDO, Antônio. Vários escritos. São Paulo: Duas Cidades, 1988.

CECCANTINI, João Luís. Mentira que parece verdade: os jovens não leem e não gostam de ler. In: FAILLA, Zoara (Org.) Retratos da leitura no Brasil 4. Rio de Janeiro: Sextante, 2016. p. 83-98.

COSSON, Rildo. Letramento literário. In: FRADE, Isabel Cristina Alves da Silva; VAL, Maria da Graça Costa; BREGUNCI, Maria das Graças de Castro (Org.). Glossário CEALE: termos de alfabetização, leitura e escrita. Belo Horizonte: UFMG/Faculdade de Educação, 2014.

COSSON, Rildo. Letramento literário. São Paulo: Contexto, 2006.

COSSON, Rildo. Círculos de leitura e letramento literário. São Paulo: Contexto, 2018.

ERICKSON, Frederick. Qualitative methods. Research in teaching and learning. Nova York: Macmillan Publishing Company, 1990, p. 75-100.

FAILLA, Zoara (Org.) Retratos da leitura no Brasil 4. Rio de Janeiro: Sextante, 2016.

FONTES, Rejane de Souza. A escuta pedagógica à criança hospitalizada: discutindo o papel da educação no hospital. 2003. 205f. Dissertação de Mestrado em Educação – Faculdade de Educação, Universidade Federal Fluminense. Niterói, 2003.

FONTE, Rejane de Souza. A educação no hospital: um direito à vida. Revista Educação e Políticas em Debate, v. 4, n. 1, p. 113-126, jan./jul. 2015.

FONTE, Rejane de Souza; VASCONCELLOS, Vera Maria Ramos de. O papel da educação no hospital: uma reflexão com base nos estudos de Wallon e Vigotski. Cad. Cedes, Campinas, vol. 27, n. 73, p. 279-303, set./dez. 2007.

GONÇALVES, Adriana Garcia; GRANEMANN, Jucélia Linhares; PACCO, Aline Ferreira Rodrigues. Estudo bibliométrico sobre a formação de professores atuantes em classe hospitalar. Criar Educação: Revista do Programa de Pós-Graduação em Educação UNESP, v. 5, n. 1, jan./jun. 2016.

LÜDKE, Menga; ANDRÉ, Marli E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

MATOS, E. L. M.; MUGIATTI, M. T. de F. Pedagogia hospitalar: a humanização integrando educação e saúde. Petrópolis, RJ: Vozes, 2006.

ROUXEL, Annie. Enseigner la lecture littéraire. Rennes: Presses Universitaires de Rennes (PUR), 1996.

SIGNORINI, Inês. Do residual ao múltiplo e ao complexo: o objeto da pesquisa em Linguística Aplicada. In: SIGNORINI, Inês; CAVALCANTI, Marilda (Org.). Linguística aplicada e transdisciplinaridade: questões e perspectivas. Campinas, SP: Mercado de Letras, 1998.

SOLÉ, Isabel. Estratégias de leitura. 6. ed. Tradução de Cláudia Schilling. Porto Alegre: ArtMed, 1998.

Downloads

Publicado

2020-12-10