Concepção pedagógica da DCN e da BNCC: algumas reflexões (im)pertinentes

Autores

  • Joselice da Rocha Leal Universidade Federal de Santa Catarina
  • Aline Moraes Lima Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-8420.2021e74467

Palavras-chave:

Base Nacional Comum Curricular, Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Básica, Competências, Currículo, Avaliação

Resumo

Este artigo é resultado das constantes inquietações despertadas a partir da ascensão da Base Nacional Comum Curricular (BRASIL, 2017), que está sendo objeto de discussão e formação em todas as redes de ensino e em escolas públicas e privadas de todo o país. Diante disso, o objetivo deste trabalho é entender as demandas nacionais que resultaram no surgimento do documento, bem como sua concepção pedagógica comparada aos documentos anteriores, como as Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Básica (BRASIL, 2013) e as demandas apontadas pelo Plano Nacional de Educação (BRASIL, 2014). Para tal, buscou-se compreender o conceito de competência presente na BNCC e trazer apontamentos de autores e outros documentos que também exploram o termo, juntamente com outras questões, como a fragmentação dos conteúdos e a avaliação em larga escala - possíveis discussões a partir da leitura do documento. Nesse sentido, foi possível perceber a forte relação que há entre a educação e o mercado de trabalho e o papel que a escola vem sendo forçada a desempenhar no cenário social brasileiro, o que reforça a necessidade de novas reflexões sobre o assunto em questão.

Referências

BORGES. C. O debate internacional sobre competências: explorando novas possibilidades educativas. 2010, 139 f. Dissertação (Mestrado) - Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, 2010.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição [da] República Federativa do Brasil. Brasília: Senado Federal, 1988. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm>. Acesso em: 11 julho 2019.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União, Brasília, 23 de dezembro de 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9394.htm>. Acesso em: 11 julho 2019.

BRASIL. Parâmetros curriculares nacionais: língua portuguesa. Brasília: Brasil. Secretaria de Educação Fundamental, 1997.

BRASIL. Lei nº 11.274 de 2006. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2006/lei/l11274.htm>. Acesso em: 23 julho 2019.

BRASIL. Educação Profissional e Tecnológica. Conselho Nacional de Educação; Câmara de Educação Básica. Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Básica. Brasília: MEC; SEB; DICEI, 2013.

BRASIL. Lei nº 13.005 de 2014. Estabelece o Plano Nacional de Educação (PNE). Disponível em: <http://pne.mec.gov.br/18-planos-subnacionais-de-educacao/543-plano-nacional-de-educacao-lei-n-13-005-2014>. Acesso em: 23 julho 2019.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular: Educação Infantil e Ensino Fundamental. Brasília: MEC/Secretaria de Educação Básica, 2017. Disponível em: <http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf>. Acesso em: 01 julho 2019.

BRASIL. Lei nº 13.415 de 2017. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2017/Lei/L13415.htm#art4>. Acesso em: 23 julho 2019.

FREITAS, L. C. Os reformadores empresariais da educação: da desmoralização do magistério à destruição do sistema público de educação. Educação e Sociedade, Campinas, v.33, n. 119, p. 379-404, abr. /jun. 2012.

FREITAS, F. M.; SILVA, J. A.; LEITE; M. C. L. Diretrizes Invisíveis e Regras Distributivas nas Políticas Curriculares da Nova BNCC. Currículo sem Fronteiras, online, v. 18, n. 3, p. 857-870, set./dez. 2018. Disponível em: <http://www.curriculosemfronteiras.org/vol18iss3articles/freitas-silva-leite.pdf>. Acesso e 10 julho 2019.

GERALDI, J. W. O ensino de língua portuguesa e a Base Nacional Comum Curricular. Revista Retratos da Escola, Brasília, v. 9, n. 17, p. 381-396, jul. /dez. 2015. Disponível em: http://retratosdaescola.emnuvens.com.br/rde/article/view/587>. Acesso e 10 julho 2019.

GONTIJO, C. M. M. Base Nacional Comum Curricular (BNCC): Comentários Críticos. Revista Brasileira de Alfabetização - ABAlf. Vitória, v.1, n. 2, p. 174-190, jul. /dez. 2015.

LUCKESI, C. C. Avaliação da aprendizagem: componente do ato pedagógico. 1. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

MACEDO, E. Base Nacional Curricular Comum: A falsa oposição entre conhecimento para fazer algo e conhecimento em si. Educação em Revista. Belo Horizonte, v.32, n.02, p. 45-67, abril-junho, 2016.

MERCADANTE, Aloizio. Apresentação. In: BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão. Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica. Conselho Nacional da Educação. Câmara Nacional de Educação Básica. Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais da Educação Básica. Brasília: MEC, SEB, DICEI, 2013, p. 4.

SAVIANI, D. Escola e democracia. São Paulo: Cortez; Campinas: Autores Associados, 1986.

SAVIANI, D. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. 11. ed. Campinas, SP: Autores associados, 2013.

SAVIANI, D. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. 10 ed. Campinas (SP): Autores Associados, 2008.

SILVA, R. S. Apresentação. In: BRASIL. Base Nacional Comum Curricular: Educação Infantil e Ensino Fundamental. Brasília: MEC/Secretaria de Educação Básica, 2017, p. 5. Disponível em http: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf Acesso em: 01 jul. 2019.

SOUSA, S. A. Avaliação colaborativa e com controle social. Revista Retratos da Escola, Brasília, v. 7, n. 12, p. 65-75, jan. /jun. 2013.

SOUZA, A. M. R.; GIORGI, M. C.; ALMEIDA, F. S. Uma análise discursiva da BNCC antes e depois do golpe de 2016: Cad. Letras UFF, Niterói, v. 29, n. 57, p. 97-116, 2º sem. 2018.

TRICHES, E. F.; ARANDA, M. A. de M. A Formulação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) como ação da Política Educacional: Breve Levantamento Bibliográfico (2014-2016). Realização, [S.l.], v. 3, n. 5, p. 81-98, jun. 2017. Disponível em: <http://ojs.ufgd.edu.br/index.php/realizacao/article/view/6362>. Acesso em: 23 jul. 2019.

Downloads

Publicado

2021-05-21