O silêncio, ainda? O desejo de nada, um fantasma, ainda

Autores

  • Davi Carneiro Pessoa Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.5007/2176-8552.2011nesp2p123

Palavras-chave:

Samuel Beckett, memória, esquecimento, silêncio, ruído.

Resumo

Este artigo discute a estética negativa presente nas narrativas de Samuel Beckett, Molloy (1951), Malone meurt (1951) e L’Innommable (1953), com o intuito de pensar, ao mesmo tempo, a memória e o esquecimento, o ruído e o silêncio, pois a partir dessas relações podemos pensar o fracasso da escritura como potência.

Downloads

Publicado

2012-09-05