O feminino indelével nas palavras poéticas de Warsan Shire, Upile Chisala e Safia Elhillo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2176-8552.2020.e72336%20

Palavras-chave:

Warsan Shire, Upile Chisala, Safia Elhillo, Escritas de gênero, Poéticas africanas diaspóricas.

Resumo

A primeira observação relativa à escrita literária relaciona-se ao próprio ato físico de escrever, condicionado a uma tensão corpórea que só é aliviada, acabada, quando a escrita é terminada. Esta, em si, liga-se profundamente a uma conjuntura histórica, visto que não é atemporal, tampouco impessoal (SPILLERS, 2015, p. 58). Soma-se a isso o fato de que o escritor, ao conceber noções de pertencimento em meio à sociedade que o cerca, não pode isolar-se de tudo o que, de alguma forma, o sensibiliza. Considerando, portanto, que homem e sociedade coadunam-se sobremaneira, analisamos atentamente a escrita poética de Warsan Shire (Quênia), Upile Chisala (Maláui) e Safia Elhillo (Sudão), que está demasiadamente associada às suas vivências pessoais, bem como ao passado histórico de seus países de origem e às heranças culturais de seus antepassados, uma vez que a própria escrita carrega em si uma carga de urgência assaz relacionada ao momento sócio-político-cultural da sociedade contemporânea.

Biografia do Autor

Elen Rodrigues Gonçalves, Universidade Federal de Juiz de Fora

Especialista em História da África e Mestra em Estudos Literários pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Atualmente é estudante de doutorado em Estudos Literários pela mesma instituição.

Bárbara Inês Ribeiro Simões Daibert, Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF).

Diretora de Relações Internacionais na Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), doutora em Literatura Comparada pela Universidade Federal de Fluminense (UFF). Tem experiência nas áreas de Literatura Comparada, Literatura Afro-Brasileira e Literaturas de Língua Inglesa, atuando principalmente nos seguintes temas: memória, ficção contemporânea e silêncio nas literaturas afro-diaspórica e pós-colonial.

Referências

BONNICI, Thomas. Literatura negra e seu contexto britânico. Cadernos de Estudos Culturais. v. 3, n. 6. p. 169-190, 2011. Disponível em: < http://www.seer.ufms.br/index.php/cadec/article/view/4564>. Acesso em: 12 nov 2018.

CHISALA, Upile. Nectar. s/l, 2017.

CHISALA, Upile. Soft Magic. s/l, 2015.

DAVIES, Carole E. Boyce. Hearing black women’s voices: transgressing imposed boundaries. In: DAVIES, Carole Boyce; OGUNDIPE-LESLIE, ‘Molara. Moving beyond boundaries. International dimensions of black women’s writing. New York: New York University Press, 1995. p. 3- 15.

DAWES, Kwame. Atlantic got your tongue? In: ELHILLO, Safia. The january children. Lincoln: University of Nebraska, 2017. p. ix-xviii.

ELHILLO, Safia. The january children. Nebraska: African Poetry Book Series, 2017.

MOHANTY, Chandra Talpade. Feminism Without Borders: decolonizing theory, practicing solidarity. Durham, London: Duke University Press, 2003.

MORRIS, Rosalind C. Can the subaltern speak? Reflections on the history of an idea. New York: Columbia University Press, 2010.

OKEOWO, Alexis. The Writing life of Warsan Shire, a young, prolific poet. The New Yorker. 2015. Disponível em: <https://www.newyorker.com/culture/cultural-comment/the-writing-life-of-a-young-prolific-poet-warsan-shire>. Acesso em: 11 dez. 2018.

OGUNDIPE-LESLIE, ’Molara. Women in Africa and Her Diaspora: from marginality to empowerment. In: DAVIES, Carole Boyce; OGUNDIPE-LESLIE, ’Molara. Moving beyond boundaries. International dimensions of black women’s writing. New York: New York University Press, 1995. p. 15-17.

SHIRE, Warsan. Teaching my mother how to give birth. UK: Mouthmark Series, 2011.

SPILLERS, Hortense. Writing and States of Emergency. In: DONAHUE, Christiane; BLEWETT, Kelly. The power of writing. Hanover, New Hampsire: Dartmouth College Press, 2015. p. 57- 74. Disponível em: <https://trueleappress.com/2017/12/18/working-bibliography-of-hortense-j-spillers/>. Acesso em: 26 nov. 2018.

SPIVAK, Gayatri Chakravorty. Pode o subalterno falar? Tradução Sandra Regina Goulart Almeida, Marcos Pereira Feitosa, André Pereira Feitosa. Belo Horizonte: U

Downloads

Publicado

2021-04-09

Edição

Seção

Artigos