O entretenimento como arte séria: a revista MAD e a crítica ao consumismo

Autores

  • Michel Lagerlöf UFJF
  • Gilvan Procópio Ribeiro UFJF

DOI:

https://doi.org/10.5007/2176-8552.2019.e73771

Palavras-chave:

Indústria Cultural, Arte Séria, Arte Leve, Revista MAD, Consumismo.

Resumo

O presente artigo estabelece relações entre a revista MAD, revista de humor norte-americana, e a hibridização entre a arte leve e a arte séria, segundo o pensamento de Andreas Huyssen. As duas esferas da arte serão problematizadas a partir da atualidade do conceito de indústria cultural e seu conjunto de ideais. Na sequência, abordaremos as características gerais da revista em busca de uma síntese com as ideias apresentadas. Por fim, tratar-se-á do tema do consumismo, que atravessa por diversas vezes a publicação, como uma forma de engajamento crítico, que é um atributo da arte séria, em reação aos mecanismos de dominação de uma sociedade baseada na cultura do consumo.

Referências

ADORNO, Theodor; HORKHEIMER, Max. Dialética do Esclarecimento: fragmentos filosóficos. Tradução de Guido Antônio de Almeida. Rio de Janeiro, Jorge Zahar, 1985.

BARROS, Otacílio Costa d’Assunção. Sou um contador de histórias. Revista BRAVO!, set. 2017. Disponível em: https:medium.com/revista-bravo/sou-um- contador-de-hist%C3%B3rias-8a7a217b18b. Acesso em: 12 fev. 2020.

FONTENELLE, Isleide Arruda. Cultura do Consumo: fundamentos e formas contemporâneas. Rio de Janeiro, FGV, 2017.

GABLER, Neal. Life: The Movie: How Entertainment Conquered Reality. New York, Vintage Books, 2000.

HISS, Tony. The MAD. The New York Times, jul. 1977. Disponível em: https:// www.nytimes.com/1977/07/31/archives/the-mad-generation-after-25-years-of- perpetrating-humor-in-the.html. Acesso em: 11 jan. 2020.

HUIZINGA, Johan. Homo Ludens: o jogo como elemento da cultura. Tradução de João Paulo Monteiro. São Paulo: Perspectiva, 2004.

HUYSSEN, Andreas. Memórias do Modernismo. Tradução de Patrícia Farias. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 1997.

KOCK, Thomas Freeman. Que é um introvertido? Revista MAD em Português. Rio de Janeiro: Vecchi, n. 03, set. de 1974. p. 36-37.

MANDEL, Ernest. O Capitalismo Tardio. Tradução de Carlos Eduardo Silveira Matos. 2. ed. São Paulo: Nova Cultura, 1985.

MEYERSON STRATEGY: MAD Magazine founder William M. Gaines Interviewed in 1978. Entrevistador: Charlie Meyerson. Entrevistado: William Gaines. Chicago: ComiCon, 15 jul. 1978. Disponível em: https://www.meyersonstrategy. com/2011/07/mad-magazine-founder-william-m-gaines.html. Acesso em: 20 jan. 2020.

REINT, Sy. A Cartilha MAD da Poluição. Revista MAD em Português. Rio de Janeiro: Vecchi, n. 17, nov. de 1975. p. 23.

RODRIGUES, Luciane Candido. A construção do conceito de Popular em Theodor Adorno. 2012. 85f. Dissertação (Mestrado em Filosofia) – Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade Federal de São Paulo, Guarulhos, 2012.

SALGADO, Daniel. O “fim” da MAD, maior revista de humor do mundo. Época. 07 jul. 2019. Disponível em: https://epoca.globo.com/cultura/o-fim-da-mad-maior- revista-de-humor-do-mundo-23789971. Acesso em: 12 fev. 2020.

SANTOS, Roberto Elísio dos. Uma revista muito louca: análise do humor da MAD Magazine. São Paulo: Criativo, 2015.

SCHELLY, Bill. American Comic Book Chronicles: the 1950s. Raleigh: TwoMorrows, 2013.

SCHELLY, Bill. Harvey Kurtzman: the man who created MAD and revolutionized humor in america. Seattle: Fantagraphics, 2015.

THOMPSON, Ethan. Parody and Tasty in Postwar American Television Culture. Routledge: New York, 2011.

WELCH, Susan; GRUHL, John; COMER, John, RIGDON, Susan. Understanding American Government. 11. ed. Belmont: Thomson Wadsworth, 2008.

WILLIAMS, Raymond. Marxism and Literature. Oxford: Oxford University Press, 1978.

WILLIAMS, Raymond. Recursos da Esperança: Cultura, Democracia e Socialismo. Tradução de Nair Fonseca e João Alexandre Peschanski. São Paulo: UNESP, 2015.

Downloads

Publicado

2021-02-25