O Isomorfismo na Educação Ambiental como Tema Transversal em Programas de Graduação em Administração

Autores

  • Heloísa Helena Marques da Silva Faculdades Metropolitanas Unidas - FMU
  • Milton Abreu Campanario Professsor da FEA - Universidade de São Paulo/USP
  • Maria Tereza Saraiva de Souza Professora da Centro Universitário da FEI

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8077.2013v15n37p170

Palavras-chave:

Educação ambiental, graduação em administração, tema transversal, sustentabilidade, isomorfismo

Resumo

A Política Nacional de Educação Ambiental determina a inclusão da Educação Ambiental em todos os níveis do ensino de modo transversal e contínuo, vedando sua utilização como disciplina específica. O referencial teórico está assentado no isomorfismo aplicado ao tema da transversalidade em Instituições de Ensino Superior (IES), buscando identificar os mecanismos que as impulsionam a mudar de comportamento frente a essa regulamentação, desvendando quais forças promovem a incorporação da educação ambiental na grade da graduação em Administração, como tema transversal.  A metodologia utilizada é quantitativo-qualitativa e utiliza um estudo multicaso junto a quatro IES, com Graduação em Administração. Conclui-se que pressão isomórfica coercitiva, por parte da sociedade, e normativa, ligada à atuação profissional, são as que mais contribuem para a institucionalização da educação ambiental na grade curricular. As demandas sociais para formação do administrador com conhecimentos ambientais é o fator mais forte neste processo.

Biografia do Autor

Heloísa Helena Marques da Silva, Faculdades Metropolitanas Unidas - FMU

Mestre pela Universidade Nove de Julho/Bolsista CAPES

Milton Abreu Campanario, Professsor da FEA - Universidade de São Paulo/USP

- PhD - Cornell University (1981) / MS – Harvard University (1976), PQ/CNPq

Maria Tereza Saraiva de Souza, Professora da Centro Universitário da FEI

Professor do Programa de Mestrado e Doutorado da FEI

Downloads

Publicado

2013-12-10

Edição

Seção

Artigos