Razão tradicional e razão crítica: os percursos da razão no ensino e a pesquisa em administração na concepção da teoria crítica

Autores

  • Francis Kanashiro Meneghetti Universidade Tecnológica Federal do Paraná
  • José Henrique de Faria Universidade Federal do Paraná.
  • Dorival De Stefani Centro Universitário Internacional - Uninter

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8077.2016v18n45p136

Resumo

Questionar a razão que constrói as razões é condição essencial para compreender como se constitui, na atualidade, o ensino e a pesquisa em Administração. Para tanto, o objetivo central deste trabalho é refletir sobre a prática científica caracterizada pela Razão Tradicional (Ciência Moderna) e pela Razão Crítica. Não se trata de avaliar o status dessas razões, mas de propor uma reflexão sobre a prática científica. Assim, faz-se mister verificar o que é razão, sua relação com o Iluminismo e o que se entende por Eclipse da Razão; o entendimento e as características da Razão Tradicional e sua relação com o capitalismo e o progresso; o entendimento e as características da Razão Crítica e sua relação com o materialismo histórico; a relação entre Razão Tradicional e Razão Crítica. A Razão Crítica supera a Razão Tradicional não por negação, mas por incorporação. A Razão Crítica que questiona os porquês, as utilizações, os interesses, as consequências históricas e os resultados obtidos pela ciência.

Biografia do Autor

Francis Kanashiro Meneghetti, Universidade Tecnológica Federal do Paraná

Professor do Departamento Acadêmico de Gestão e Economia e do Programa de Pós-Graduação em Tecnologia da Universidade Tecnológica Federal do Paraná.

José Henrique de Faria, Universidade Federal do Paraná.

Professor Titular do Departamento de Administração da Universidade Federal do Paraná.

Dorival De Stefani, Centro Universitário Internacional - Uninter

Professor da Uninter.

Downloads

Publicado

2016-08-01

Edição

Seção

Artigos