Práticas de Trabalho e as Dimensões Tácitas e Estéticas da Aprendizagem de Operadores de Rochas Ornamentais

Autores

  • Katia Cyrlene de Araujo Vasconcelos Universidade Federal do Espirito Santo - UFES Fucape Business School
  • Claudia Xavier Cavalcanti Universidade Federal do Espirito Santo - UFES
  • Annor da Silva Junior Universidade Federal do Espirito Santo - UFES

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8077.2017v19n49p29

Palavras-chave:

Aprendizagem, Teorias da Prática

Resumo

O objetivo deste artigo é compreender como as práticas de trabalho possibilitam a aprendizagem dos indivíduos nos espaços de trabalho utilizando uma lente teórica que entende que este processo ocorre a partir de uma teia de relações sociais e culturais que são institucionalizadas e estabelecidas e sustentadas por um grupo (GHERARDI; STRATI, 2014). Para isso, uma pesquisa de caráter qualitativa foi realizada em indústria de rochas ornamentais. A coleta foi realizada por meio de entrevistas e observações assistemáticas e a análise destes dados demonstra que o processo de aprendizagem dos operadores da empresa  se sustenta em uma construção social, por meio de  práticas de socialização, da segurança e do senso estético, onde a colaboração, a interação, o desejo de compartilhar, a vontade de aprender, a ativação da percepção e de sentimentos são fontes importantes para a geração, a disseminação e o compartilhamento do conhecimento e o aprendizado.

Biografia do Autor

Katia Cyrlene de Araujo Vasconcelos, Universidade Federal do Espirito Santo - UFES Fucape Business School

Doutoranda em Administração

Professora 

Claudia Xavier Cavalcanti, Universidade Federal do Espirito Santo - UFES

DOUTORANDA EM ADMINISTRAÇÃO

Annor da Silva Junior, Universidade Federal do Espirito Santo - UFES

Professor -  Programa de Pós-graduação em Administração (PPGAdm) e do Programa de Pós-graduação em Ciências Contábeis (PPGCon) - UFES

Downloads

Publicado

2017-12-28

Edição

Seção

Artigos