O dissenso entre atores públicos e privados envolvidos em Parques Tecnológicos em operação no Brasil

Autores

  • Lindsay Teixeira Sant'Anna Universidade Federal de Lavras
  • Dany Flávio Tonelli Universidade Federal de Lavras
  • Teresa Cristina Monteiro Martins Universidade Federal de Lavras
  • Luiz Marcelo Antonialli Universidade Federal de Lavras

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8077.2019.e59403

Palavras-chave:

Colaboração, Atores públicos, Atores privados, Análise discriminante, Análise de clusters

Resumo

Diante do crescimento das iniciativas de parques tecnológicos no país e da multiplicidade de atores envolvidos, o presente estudo tem por objetivo investigar as diferenças de percepções e de práticas entre atores públicos e os privados envolvidos nesses empreendimentos. Por meio da análise de clusters e da análise discriminante, com utilização do programa Statistical Data Analysis (SPSS), constatou-se significativas diferenças de percepções quanto à importância dada por atores públicos e privados às variáveis da colaboração: gestão do conhecimento, confiança e investimento. Quanto às ações, os atores públicos afirmam realizar práticas de confiança, interdependência e ampla participação nos processos decisórios com uma multiplicidade de envolvidos, o que não é confirmado pelos atores privados. Assim, apesar do crescimento do número de parques tecnológicos em operação no país revelar uma predisposição à colaboração, o dissenso constatado entre atores públicos e privados é um desafio para a durabilidade desses empreendimentos

Biografia do Autor

Lindsay Teixeira Sant'Anna, Universidade Federal de Lavras

Mestre em Administração Pública (DAE-UFLA)

Doutoranda em Administração do Programa de Pós-graduação em Administração (PPGA/DAE/UFLA)

Professora na FADMINAS-Lavras-MG

Dany Flávio Tonelli, Universidade Federal de Lavras

Doutor em Administração (UFLA). Professor adjunto IV do Departamento de Administração e Economia (DAE/UFLA).

Teresa Cristina Monteiro Martins, Universidade Federal de Lavras

Servidora Técnico-Administrativo da UFLA.

Mestre em Administração Pública (DAE/UFLA)

Doutoranda em Administração do Programa de Pós-graduação em Administração (PPGA/DAE) – UFLA

Luiz Marcelo Antonialli, Universidade Federal de Lavras

Doutor em Administração pela FEA/USP. Professor Titular do Departamento de Administração e Economia da (DAE/UFLA).

Referências

ABDALLA, M. M.; CALVOSA, M. V. D.; BATISTA, L. G. Hélice tríplice no Brasil: um ensaio teórico acerca dos benefícios da entrada da universidade nas parcerias estatais. Revista Cadernos de Administração, São Paulo, 1 (3), 01-18, 2009.

ABRAMOVSKY, Laura; SIMPSON, Helen. Geographic proximity and firm-university innovation linkages: evidence from Great Britain. Journal of Economic Geography, n.11, p. 949–977, 2011.

ALMEIDA, M. L. P. Universidade e iniciativa privada: a UNICAMP diante dos desafios da globalização. Campinas: Alínea, 2002.

ANPROTEC, Associação Nacional de Entidades Promotora de Empreendimentos Inovadores. Estudo de Projetos de Alta Complexidade: Indicadores de Parques Tecnológicos – Versão final. 2014. Disponível em: < http://www.anprotec.org.br/Relata/PNI_FINAL_web.pdf > Acesso em 28 nov., 2017a.

ANPROTEC, Associação Nacional de Entidades Promotora de Empreendimentos Inovadores. Propostas de Políticas Públicas para Parques Tecnológicos e Incubadora de Empresas. 2015. Disponível em: < http://ppi.certi.org.br/4-PropostasPoliticasPublicasParquesIncubadoras.pdf > Acesso em 28 nov. 2017b.

ANSELL, Chris; GASH, Alison. Collaborative governance in theory and practice. Journal of Public Administration Research and Theory, v. 18, n. 4, p. 543-571, Oct 2008.

APPLEYARD, M. M.; CHESBROUGH, H. W. The Dynamics of Open Strategy: From ABDALLA, M. M.; CALVOSA, M. V. D.; BATISTA, L. G. Hélice tríplice no Brasil: um ensaio teórico acerca dos benefícios da entrada da universidade nas parcerias estatais. Revista Cadernos de Administração, São Paulo, 1 (3), 01-18, 2009.

ABRAMOVSKY, Laura; SIMPSON, Helen. Geographic proximity and firm-university innovation linkages: evidence from Great Britain. Journal of Economic Geography, n.11, p. 949–977, 2011.

ALMEIDA, M. L. P. Universidade e iniciativa privada: a UNICAMP diante dos desafios da globalização. Campinas: Alínea, 2002.

ANPROTEC, Associação Nacional de Entidades Promotora de Empreendimentos Inovadores. Estudo de Projetos de Alta Complexidade: Indicadores de Parques Tecnológicos – Versão final. 2014. Disponível em: < http://www.anprotec.org.br/Relata/PNI_FINAL_web.pdf > Acesso em 28 nov., 2017a.

ANPROTEC, Associação Nacional de Entidades Promotora de Empreendimentos Inovadores. Propostas de Políticas Públicas para Parques Tecnológicos e Incubadora de Empresas. 2015. Disponível em: < http://ppi.certi.org.br/4-PropostasPoliticasPublicasParquesIncubadoras.pdf > Acesso em 28 nov. 2017b.

ANSELL, Chris; GASH, Alison. Collaborative governance in theory and practice. Journal of Public Administration Research and Theory, v. 18, n. 4, p. 543-571, Oct 2008.

APPLEYARD, M. M.; CHESBROUGH, H. W. The Dynamics of Open Strategy: From Adoption to Reversion. Long Range Planning, 50, 310-321, 2017.

CHILD, J.; FAULKNER, D.; TALLMAN, S. Cooperative strategy. New York: Oxford University Press, 2005.

CHOI, Tae Hyon; ROBERTSON, Peter J. Caucuses in Collaborative Governance: Modeling the Effects of Structure, Power, and Problem Complexity. International Public Management Journal, v.17, n.2, p. 224–254, 2014.

DYER, J. H.; SINGH, H. The relational view: cooperative Strategy and sources of interorganizational competitive Advantage. Academy of Management Review, 23 (4), 660-679. 1998.

EMERSON, Kirk; NABATCHI, Tina; BALOGH, Stephen. An Integrative Framework for Collaborative Governance. Journal of Public Administration Research and Theory, v. 22, n. 1, p. 1-29, Jan 2012.

ETZKOWITZ, H.; LEYDESDORFF, L. The dynamics of innovation: from National Systems and “Mode 2‟‟ to a Triple Helix of university–industry–government relations. Research Policy, Amsterdam, 29 (2), 109-123, 2000.

FOSTER-FISHMAN, Pennie G.; BERKOWITZ, Shelby L.; LOUNSBURY, David W. Building Collaborative Capacity in Community. American Journal of Community Psychology, Vol. 29, N. 2,241-261, 2001.

FREEMAN, Jody. Collaborative governance in the administrative state. Ucla Law Review, v. 45, n. 1, p. 1-98, Oct 1997.

GUILLAIN, R., HURIOT, J.M. The local dimension of information spillovers: a critical review of empirical evidence in the case of innovation. Canadian Journal of Regional Science, 24 (2), 313–338, 2001.

HAIR, Joseph F.; ANDERSON, Rolph L.; TATHAN, Ronald L.; BLACK, William C. Análise multivariada de dados. Porto Alegre: Bookman, 2005.

HANSEN, Peter Bent; BECKER, Grace Vieira; NEFF, Henrique Bagattini; MELLO, Natália Coll. Contribuição do parque tecnológico para a competitividade das empresas instaladas: análise do caso do Tecnopuc – RS. Revista Gestão Organizacional, vol. 5, n. 2, jul./dez, 2012.

HERVÁS-OLIVER, Jose Luis; ALBORS-GARRIGOS, Jose. The role of firm’s internal and relational capabilities in clusters: when distance and embeddedness are not enough to explain innovation. Journal of Economic Geography, Vol. 9, n. 2, p. 263–283, 2009.

HOBBS, K. G.; LINK, A. N.; SCOTT, J. T. Science and technology parks: an annotated and analytical literature review. Journal of Technology Transfer, vol. 42, p 957–976, 2017.

HOWLETT, M. From the ‘old’ to the ‘new’ policy design: design thinking beyond markets and collaborative governance. Policy Science, 47, p. 87-207, 2014.

IZUSHI, Hiro. Impact of the length of relationships upon the use of research institutes by SMEs. Research Policy, n. 32, p.771–788, 2003.

JOHNSTON, Erik W.; HICKS, Darrin; NAN, Ning; AUER, Jennifer C. Managing the Inclusion Process in Collaborative Governance. Journal of Public Administration Research and Theory.21 (4), p. 699-721, august, 2010.

KALLIS, Giorgos; KIPARSKY, Michael; NORGAARD, Richard. Collaborative governance and adaptive management: Lessons from California's CALFED Water Program. Environmental Science & Policy, v. 12, n. 6, p. 631-643, Oct 2009.

LACERDA, Norma; FERNANDES, Ana Cristina. Parques tecnológicos: entre inovação e renda imobiliária no contexto da cidade do Recife. Cadernos Metrópole, v. 17, n. 34, pp. 329-354, nov 2015.

LAIMER, Claudionor Guedes. Determinants of interorganizational relationships in science and technology parks: theoretical and empirical evidence. Gestão & Regionalidade, vol. 31, n.91, jan-abr, 2015.

MAH, Daphne Ngar-Yin; HILLS, Petter. Collaborative governance for technological innovation: a comparative case study of wind energy in Xinjiang, Shanghai, and Guangdong. Environment and Planning C: Government and Policy, v.32, n.3, p.509-529, 2014.

MARQUES, M.A.J.; COSTA, V.A.; DOS SANTOS, R.C.P.; ORSATTO, S.G. Análise de percepção de atores de Ciência, Tecnologia e Inovação em sistemas regionais

e ambientes de inovação. Revista de Gestão e Tecnologia, 7 (3), 86-94, 2017.

MCDOUGALL, Cynthia L.; LEEUWIS, Cees; BHATTARAI, Tara; MAHARJAN, Manik R.; JIGGINS, Janice; Engaging women and the poor: adaptive collaborative governance of community forests in Nepal. Agriculture and Human Values, v. 30, n. 4, p 569- 585, 2013.

MOELIODIHARDJO, B. Y; SOEMARDI, B.W.; BRODJONEGORO , S.S. & HATAKENAKA , S. University, industry, and government partnership: its present and future challenges in Indonesia. Procedia Social and Behavioral Sciences, 52, 307-316, 2012.

MOREIRA;,S.T.B.; TONELLI, D.F.; MESQUISTA, I.; SILVA, S.R.; V, M.O.S. Inovação no Setor Público: explorando possibilidades a partir de uma Proposta de Diagrama Analítico. In: VI Encontro de Administração Pública e Governança (EnAPG), 2014, Belo Horizonte. Anais do VI Encontro de Administração Pública e Governança (EnAPG), 2014.

NEWMAN, Janet; BARNES, Marian; SULLIVAN, Helen; KNOPS, Andrew. Public Participation and Collaborative Governance. Journal of Social Policy, V. 33 (2), 203 – 223, April 2004.

OLIVEIRA, S. C. Os caminhos para a inovação tecnológica e o papel da universidade nesse processo. In: Gazzola, A. L. A.; Almeida, S. G. (Org.). Universidade: cooperação internacional e diversidade. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 205-211, 2006.

PESSOA Leonel Cesarino; BRITO, Silva Cirani Claudia ; MUNIZ, Silva Marcello; SOUZA, Rangel Armênio. Parques tecnológicos brasileiros: uma análise comparativa de modelos de gestão. Revista de Administração e Inovação, São Paulo, v. 9, n. 2, p.250-270, abr/jun. 2012.

PEREIRA, Alexandre. Guia prático de utilização do SPSS. Análise de dados para ciências sociais e psicologia, 2004.

PURDY, Jill M. Framework for Assessing Power in Collaborative Governance Processes. Public Administration Review, 72 (3), p. 409-417, May-jun. 2012.

ROBERTSON, Peter J.; CHOI, Taehyon Deliberation, Consensus, and Stakeholder Satisfaction. Public Management Review, 14 (1), p. 83-103, 2012.

RODRIGUES, C.; MELO, A. I. The triple helix model as inspiration for local development policies: an experience-based perspective. International Journal of Urban and Regional Research, 37 (5), 1675-1687, 2013.

SANT’ANNA, Lindsay. T.; TONELLI, Dany F.; ABBUD, Elenice. B. Collaborative Governance: a Maturity Level Proposal based on a Scoping Study. XL Encontro da ANPAD. Costa do Sauípe, setembro, 2016. Anais...Costa do Sauípe, 2016. p.1-16.

SCHMIDT, Serje; BALESTRIN, Alsones. Projetos colaborativos de P&D em ambientes de incubadoras e parques científico-tecnológicos: teorizações do campo de estudo. Revista de Administração e Inovação, v. 11, n.2, p. 111-131, abr./jun. 2014.

SIDDIKI, S.N.; CARBONI, J.L.; KOSKI, C.; SADIQ, A-A. How Policy Rules Shape the Structure and Performance of Collaborative Governance Arrangements. Public Administration Review, 75 (4), p. 536-547, jul-aug, 2015.

SILVA, Fabio Q. B.; SUASSUNA, Marcos; MACIEL, Sheyla de Moraes. Um modelo de desenvolvimento local baseado em inovação e o papel dos parques tecnológicos na sua implantação. Revista da Micro e Pequena Empresa, v.3, n.1, p.25-37, 2009.

STEINER, J. E.; CASSIN, M. B.; ROBAZZI, A. C. Parques tecnológicos: ambientes de inovação. São Paulo: Instituto de Estudos Avançados de São Paulo. 2008.

TANG, C-P.; TANG, S-Y. Managing Incentive Dynamics for Collaborative Governance in Land and Ecological Conservation. Public Administration Review, 74 (2), p. 220–231, 2014.

TENCATI, A.; ZSOLNAI, L. The Collaborative Enterprise. Journal of Business Ethics, v. 85, p. 367–376, 2009.

TONELLI, Danny Flávio; MARQUESINI, Matheus Almeida;

ZAMBALDE, André Luiz. Implantação de Parques Tecnológicos como Política Pública: Uma Revisão Sistemática sobre seus Limites e Potencialidades. Revista Gestão & Tecnologia, v. 15, n. 2, p. 113-134 mai./ago. 2015.

TONELLI, D. F.; SANT’ANNA, L.; ABBUD, E. B; SOUZA, S. A. S. Antecedents, process, and equity outcomes: A study about collaborative governance. Cogent Business & Management, 5, 1-17, 2018.

VÁSQUEZ-URRIAGO, Ángela Rocío; BARGE-GIL, Andrés; RICO, Aurelia Modrego. Science and Technology Parks and cooperation for innovation: Empirical evidence from Spain. Research Policy, vol. 45, 137–147, 2016.

VEDOVELLO, Conceição Aparecida; JUDICE, Valéria; MACULAN, Anne-Marie. Revisão crítica às abordagens a parques tecnológicos: alternativas interpretativas às experiências brasileiras recentes. RAI - Revista de Administração e Inovação, v. 3, n. 2, p. 103-118, 2006.

WEBER, E.P.; LOVRICH, N.P.; GAFFNEY, M.J.; Assessing Collaborative Capacity in a Multidimensional World. Administration & Society, 39(2), 194-220, April 2007.

WEBER, Edward P.; KHADEMIAN, Anne M.; Wicked Problems, Knowledge Challenges, and Collaborative Capacity Builders in Network Settings. Public Administration Review, 334-349, march/april 2008.

ZEN, A. C. A articulação e o desenvolvimento dos parques tecnológicos: O caso do Programa Porto Alegre Tecnópole – Brasil. In: XI Seminário Latino Americano de Gestión Tecnológica. Anais... Porto Alegre. Outubro de 2005.

ZOUAIN, Desiree Morais; PLONSKI, Guilherme Ary. Parques tecnológicos – planejamento e gestão. Brasília: ANPROTEC, SEBRAE. 2006.

Downloads

Publicado

2019-08-14

Edição

Seção

Artigos