Utilização de Contratos Futuros do Ibovespa em Carteiras de Fundos de Pensão no Brasil: uma abordagem setorial

Thiago de Melo Teixeira da Costa, Maurinho Luiz dos Santos, Suely de Fátima Ramos Silveira

Resumo


Os Fundos de Pensão têm buscado melhores estratégias para gerenciamento de seus ativos. Este trabalho pretende analisar o risco das carteiras de Fundos de Pensão com e sem contratos futuros do Ibovespa e avaliar os ganhos obtidos na relação retorno/risco por uma abordagem setorial proposta. Os níveis de utilização de contratos futuros que permitissem o hedge ótimo foram obtidos a partir dos modelos de cointegração e o risco, representado pelo Valor em Risco (VaR), foi obtido via modelos de volatilidade condicional. Notou-se que o retorno médio diário das estratégias com hedge cai em relação à estratégia sem hedge. Entretanto, essa queda é relativamente pequena diante da queda do risco proporcionada pela utilização de contratos futuros do Ibovespa. Os resultados encontrados indicaram que um gerenciamento dinâmico, a partir de um acompanhamento setorial dos ativos que compõem determinada carteira de investimento, torna o desempenho do portfólio melhor, reduzindo consideravelmente o nível de risco assumido.


Palavras-chave


Fundos de Pensão; Hedge; Risco; Value-at-risk; Modelos Garch

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-8077.2014v16n38p110

Revista de Ciências da Administração, Universidade Federal de Santa Catarina, Departamento de Administração, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.

Para entrar em contato com a equipe editorial da Revista RCA, encaminhe um e-mail para rca.cse@contato.ufsc.br

ISSNe 2175-8077    ISSN 1516-3865

Licença Creative Commons
This obra is licensed under a Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.