Os Códigos de ética das organizações refletem a cultura nacional ou as pressões institucionais pela busca de legitimidade? Um estudo de organizações luso-brasileiras

MARIANA NUNES MACHADO DOS SANTOS, PATRICIA AMELIA TOMEI, FERNANDO ANTÔNIO RIBEIRO SERRA, MARCIO LUIZ MARIETTO

Resumo


O objetivo desta pesquisa foi verificar se os códigos de ética são elaborados refletindo os aspectos culturais do país de origem e as características idiossincráticas das organizações, ou se as pressões institucionais pela busca de legitimidade organizacional preponderam disseminando uma convergência isomórfica entre os códigos. Examinamos códigos de organizações de capital aberto nos setores industriais e de serviços de dois países, Portugal e Brasil. O estudo é qualitativo e o método utilizado foi a análise de conteúdo documental dos respectivos códigos. Os resultados indicaram que os códigos de ética possuem estrutura e conteúdo semelhantes entre países e organizações distintas. A pesquisa contribui para os estudos de identidade ética ao evidenciar que as pressões institucionais provocam comportamentos isomórficos entre as organizações, independente do setor e país de atuação. Contribui, também, para a prática gerencial ao evidenciar que a mera exigência e recomendações de conteúdo mínimo não provocam o efeito desejado.


Palavras-chave


Códigos de ética; Aspectos culturais; Pressão institucional; Legitimidade organizacional.



DOI: http://dx.doi.org/10.5007/%25x

Revista de Ciências da Administração, Universidade Federal de Santa Catarina, Departamento de Administração, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.

Para entrar em contato com a equipe editorial da Revista RCA, encaminhe um e-mail para rca.cse@contato.ufsc.br

ISSNe 2175-8077    ISSN 1516-3865

Licença Creative Commons
This obra is licensed under a Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.