O poder terapêutico da escrita: quando o silêncio fala alto

Conteúdo do artigo principal

Idonezia Collodel Benetti
Walter Ferreira de Oliveira

Resumo

Ao longo da história da humanidade, a catarse foi usada, por seu potencial de cura, ou de controle de sintomas, na medicina, nas intervenções religiosas e em rituais étnicos de cura. Algumas modalidades terapêuticas modernas enfatizam o valor da expressão de emoções reprimidas e o uso da catarse como ferramenta essencial para uma mudança terapêutica positiva Na verdade, existem muitas opções terapêuticas; uma delas é a palavra escrita. Este artigo tem como finalidade discutir a escrita expressiva como um processo que pode acalmar angústias, trazendo alívio e bem estar físico e mental, atuando como tantas outras formas de terapia. A palavra escrita será, aqui, colocada como meio de comunicação interpessoal e intrapessoal, que pode ser entendida e utilizada como um elemento criativo, um recurso terapêutico ou uma ferramenta de autoajuda.

Detalhes do artigo

Como Citar
COLLODEL BENETTI, .; FERREIRA DE OLIVEIRA, . O poder terapêutico da escrita: quando o silêncio fala alto. Cadernos Brasileiros de Saúde Mental/Brazilian Journal of Mental Health, [S. l.], v. 8, n. 19, p. 67–76, 2016. DOI: 10.5007/cbsm.v8i19.69050. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/cbsm/article/view/69050. Acesso em: 1 out. 2022.
Seção
Número Temático: A terapêutica e a natureza do terapêutico
Biografia do Autor

Idonezia Collodel Benetti, UFSC

Psicologa, Mestre em Psicologia e Doutoranda em Saude Coletiva na UFSC

Walter Ferreira de Oliveira, UFSC

Ph.D., MPH, MédicoProfessor, Departamento de Saúde PùblicaUniversidade Federal de Santa Catarina, UFSC