A dimensão do rádio no campo da saúde mental: a experiência da rádio ondas mentais online

Conteúdo do artigo principal

Danilo Moreira Marques
Ellen Cristina Ricci
Thiago Lavras Trapé
Rosana Teresa Onocko-Campos
Bruno Ferrari Emerich

Resumo

O objetivo deste trabalho é refletir sobre o lugar (a dimensão) possível do rádio, concebido como modo de se comunicar, no contexto ético e político da Reforma Psiquiátrica brasileira, a partir de minha experiência em uma oficina de rádio de um Centro de Convivência.
A partir do movimento da Reforma Psiquiátrica brasileira, pautado em um complexo processo de transformação social, que, por um lado, visa redirecionar o modelo assistencial ao sofrimento psíquico para os serviços territoriais, e por outro, combater a visão preconceituosa da sociedade com suas diferenças, observa-se que o tema do resgate dos direitos sociais historicamente negados às pessoas confinadas durante décadas dentro dos manicômios, sobretudo, o direito à liberdade e à comunicação, são os pilares deste movimento. Neste sentido, inventar novos dispositivos que possibilitem o acesso aos meios de comunicação contra hegemônicos, que possibilitem novos modos de se comunicar e se expressar, são assuntos de interesse das políticas públicas de saúde mental no Brasil.

Detalhes do artigo

Como Citar
MARQUES, . M.; RICCI, . C.; TRAPÉ, . L.; ONOCKO-CAMPOS, . T.; EMERICH, . F. A dimensão do rádio no campo da saúde mental: a experiência da rádio ondas mentais online. Cadernos Brasileiros de Saúde Mental/Brazilian Journal of Mental Health, [S. l.], v. 8, n. 20, p. 101–113, 2016. DOI: 10.5007/cbsm.v8i20.69202. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/cbsm/article/view/69202. Acesso em: 2 out. 2022.
Seção
Trabalho com Cultura e Arte: Implicações em Saúde Mental e Atenção Psicossocial
Biografia do Autor

Danilo Moreira Marques, Psicólogo

Graduação em Psicologia pela Faculdade de Ciências e Letras de Assis/Unesp. Residência Multiprofissional em Saúde Mental e Coletiva pela Faculdade de Ciências Médicas/Unicamp.

Ellen Cristina Ricci, Departamento de Saúde Coletiva/Faculdade de Ciéncias Médicas/Unicamp

Graduada em Terapia Ocupacional pela Universidade de São Paulo (2007). Iniciação Científica com bolsa Fapesp sobre Serviços Residências Terapêuticos. Pós-graduação em Esquizoanálise (2008) e Terapia Ocupacional e Produção de Vida (2008). Curso de extensão em Psicanálise-Winnicott (2010). Treinamento profissional em Serviço: Avaliação de Programas e Serviços e a construção de indicadores e dispositivos para avaliação de CAPS III, pelo Departamento de Saúde Coletiva da Unicamp (2011). Atuação na assistência como terapeuta ocupacional no SUS do município de Campinas (contrato CLT de 2007 até 2015). Experiências em CAPs III, Apoio à Gestão do Distrito de Saúde Sul de Campinas, desenvolvendo projetos de gestão em saúde pública e saúde mental para os serviços que compões a rede SUS e em Centros de Convivência do município. Mestra pela Faculdade de Ciências Médicas - Departamento de Saúde Coletiva - Área de concentração: Políticas, Planejamento e Gestão - Unicamp (2015), preceptora no PET - Saúde Mental (2012-2014), supervisora dos estudantes do segundo ano da Residência Multiprofissional em Saúde Mental pela mesma universidade (2014 até apresente data); tutora do curso de especialização à distância "Apoio à Saúde da Família" Pela UNASUS/Unifesp (2015 até a presente data). Ingressante no doutorado em Saúde Coletiva pela Unicamp em março de 2015.

Thiago Lavras Trapé, Departamento de Saúde Coletiva/Faculdade de Ciéncias Médicas/Unicamp

Psicólogo. Doutor em Política, Planejamento e Gestão pelo Departamento de Saúde Coletiva da FCM Unicamp. Professor da Universidade São Francisco (USF) e da São Leopoldo Mandic (Campinas). Especialista em Psicopatologia e Saúde Pública pela Faculdade de Saúde Publica da USP; integrante do grupo de pesquisa Saúde coletiva e saúde mental: interfaces do DSC/FCM/Unicamp. Pesquisador colaborador no PESS (Programa de Estudos de Sistemas de Saúde) NEPP/ Unicamp. Possui experiência em saúde mental, atenção primária à saúde (assistência e gestão) e Avaliação de Serviços e Políticas de Saúde

Rosana Teresa Onocko-Campos, Departamento de Saúde Coletiva/Faculdade de Ciéncias Médicas/Unicamp

Possui graduação em Ciências Médicas pela Universidade Nacional de Rosário (1986), mestrado em Saúde Coletiva pela Universidade Estadual de Campinas (1998), doutorado em Saúde Coletiva pela Universidade Estadual de Campinas (2001) e livre-docência pela Universidade Estadual de Campinas (2013). Desde 2004 é professor RDIDP da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas. Coordenou o Programa de Pós-graduação em Saúde Coletiva da Faculdade de Ciências Médicas. Atualmente coordena a comissão de pós-graduação da FCM/Unicamp. Tem experiência na área de Saúde Coletiva, com ênfase nos seguintes temas: saúde coletiva, gestão e subjetividade, saúde mental, planejamento em saúde e políticas públicas, avaliação de políticas e serviços. Foi assessor da Política Nacional de Humanização em seus primórdios e da Coordenação Nacional de Saúde Mental/MS. Participa ativamente da formação de médicos e é Coordenadora do Programa de Residência Multiprofissional em Saúde Mental e Coletiva. Coordena o grupo de pesquisa Saúde Coletiva e saúde mental: Interfaces desde 2003. Além disso, é orientadora de mestrado e doutorado. Bolsista PQ 2 do CNPq.

Bruno Ferrari Emerich, Departamento de Saúde Coletiva/Faculdade de Ciéncias Médicas/Unicamp

Possui graduação em psicologia pela UNESP-Assis(2005), Aprimoramento em Saúde Mental pela UNICAMP (2007), Mestrado em Saúde Coletiva pela UNICAMP (2012). Atualmente, é Doutorando em Saúde Coletiva (UNICAMP), Professor e Supervisor de Estágio em Psicologia (Universidade São Francisco-USF) e Supervisor da Residência Multiprofissional em Saúde Mental (UNICAMP). Também realiza Pesquisa pela Fundação Oswaldo Cruz/Instituto Fernandes Figueira. Membro do Núcleo de Formação do CRP/SP e co-coordenador do projeto de Formação em Serviço "Percursos Formativos na RAPS: Intercâmbio entre Experiências e Supervisão Clínico-Institucional", financiado pelo Ministério da Saúde. Integrante do "Grupo de Pesquisa Saúde Mental e Saúde Coletiva: Interfaces", vinculado ao Departamento de Saúde Coletiva- FCM/Unicamp. Áreas de atuação: Saúde Coletiva, Saúde Mental, Formação e Ensino, Supervisão Clínico-Institucional, Psicologia Comunitária e Institucional, Psicologia da Saúde, Pesquisa Qualitativa.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)