Manter a vida em ação: associações na resistência e na luta pela democracia e liberdade

Conteúdo do artigo principal

Ana Luisa Aranha e Silva
https://orcid.org/0000-0003-2530-0256
Anna Luiza Monteiro de Barros
Caroline Ballan
https://orcid.org/0000-0002-8908-6669
Felipe Teixeira Genta Maragni
https://orcid.org/0000-0001-6693-9190
Íris Smaniotto Roschel Rotger
https://orcid.org/0000-0002-2440-534X
Simone Aparecida Ramalho
https://orcid.org/0000-0003-0002-1875
Sônia Barros
http://orcid.org/0000-0002-6346-9717

Resumo

Viver no Brasil nos primeiros anos da segunda década do século XXI é buscar, por todos os caminhos possíveis, afugentar a morte. Mobilizadas/os por esse imperativo, estes escritos afirmam nossa potência coletiva e histórica para revolver terras áridas - nosso passado colonial, autoritário, escravocrata, manicomial - para transmutá-las em solo fértil para o plantio da vida. A finalidade desse relato de experiência é dar voz às/aos cultivadoras/es, que se fortalecem tecendo complexas redes, provocando e agregando atores diversos (tais como coletivos de economia solidária, coletivos culturais, movimentos da sociedade civil, universidades e redes de serviços) organizados em Associações de usuárias/os, familiares e trabalhadoras/es da Saúde Mental, e que são como os zeladores do Jardim da Vida em Liberdade. A Associação Vida em Ação (AVA) foi fundada em 2004, dentro do campo da Reforma Psiquiátrica brasileira e do Movimento da Luta Antimanicomial. Como estratégia para estimular vidas em ação, pauta-se em três eixos: apoio e acompanhamento de experiências práticas e reais de inclusão social pelo trabalho e cultura; contribuições para aprimorar políticas públicas emancipatórias por meio de experiências práticas exitosas; e atividades de formação, ensino e pesquisa nos campos da saúde mental e economia solidária. Os Núcleos e Unidades Produtivas apoiados pela AVA proporcionam a possibilidade de acompanhar diversas formas de gestão e organização. Entre fluxos e refluxos históricos, houve, há e há de haver fortes e atentos cultivadores zelando por nossos jardins, aqui convocados para apresentar suas experiências de trabalhos, lutas e sonhos pela liberdade e democracia brasileira.

Detalhes do artigo

Como Citar
ARANHA E SILVA, Ana Luisa; MONTEIRO DE BARROS, Anna Luiza; BALLAN, Caroline; TEIXEIRA GENTA MARAGNI, Felipe; SMANIOTTO ROSCHEL ROTGER, Íris; APARECIDA RAMALHO, Simone; BARROS, Sônia. Manter a vida em ação:: associações na resistência e na luta pela democracia e liberdade. Cadernos Brasileiros de Saúde Mental/Brazilian Journal of Mental Health, [S. l.], v. 15, n. 44, p. 75–89, 2023. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/cbsm/article/view/80684. Acesso em: 25 maio. 2024.
Seção
Artigos originais
Biografia do Autor

Ana Luisa Aranha e Silva, Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo e Associação Vida em Ação

Enfermeira, Livre Docente, Professora Sênior da Escola de Enfermagem da USP, Associação Vida em Ação.

Anna Luiza Monteiro de Barros, Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo e Associação Vida em Ação

Psicóloga, Mestre em Ciências / Área de Concentração: Cuidado em Saúde pela Escola de Enfermagem da USP, Trabalhadora da RAPS - Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo, Associação Vida em Ação

Caroline Ballan, Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo e Associação Vida em Ação

Enfermeira, Doutoranda no Programa Interunidades entre as Escolas de Enfermagem em São Paulo e Ribeirão Preto da USP, Associação Vida em Ação.

Felipe Teixeira Genta Maragni, Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Atuária da Universidade de São Paulo e Associação Vida em Ação

Administrador, Mestrando no Programa de Pós-graduação em Administração da Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Atuária da USP, membro da Associação Vida em Ação, e Químico

Íris Smaniotto Roschel Rotger, Instituto Redes para o Desenvolvimento

Fisioterapeuta, trabalhadora no Instituto Redes para o Desenvolvimento.

Simone Aparecida Ramalho, Eixo Comum Trabalho em Saúde do Instituto Saúde e Sociedade da Universidade Federal de São Paulo da Baixada Santista

Psicóloga, Doutora em Psicologia pelo Instituto de Psicologia da USP, Professora do Eixo Comum Trabalho em Saúde do Instituto Saúde e Sociedade da UNIFESP Baixada Santista

Sônia Barros, Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo

Enfermeira, Professora Titular Sênior da Escola de Enfermagem da USP

Referências

ARANHA E SILVA, Ana Luisa. A construção de um projeto de extensão universitária no contexto das políticas públicas: saúde mental e economia solidária. 2012. Tese de livre-docência. Escola de Enfermagem, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012. 175 p. Disponível em: <https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/livredocencia/7/tde-23112012-092937/pt-br.php>. Acesso em: 14 abr. 2021.

ASSOCIAÇÃO VIDA EM AÇÃO. Estatuto Social, São Paulo, 2017. Disponível em: <http://saudeecosol.org/parceiros/>. Acesso em: 30 mar. 2021.

ASSOCIAÇÃO VIDA EM AÇÃO. Ponto Benedito - Economia Solidária e Cultura. Relatório Institucional de Atividades 2016-19. São Paulo, 2019.

BALLAN, Caroline; ARANHA E SILVA, Ana Luisa. O livro das receitas d'O Bar Bibitantã: Conquistas e desafios na construção de um empreendimento econômico solidário na rede pública de atenção à saúde mental no Município de São Paulo. Cadernos Brasileiros de Saúde Mental, Florianópolis, v. 8, n. 18, p. 184-205, 2016.

BARROS, Sônia; BICHAFF, Regina (orgs.). Desafios para a desinstitucionalização: Censo Psicossocial dos Moradores em Hospitais Psiquiátricos do Estado de São Paulo. São Paulo: FUNDAP: Secretaria da Saúde, 2008, 170 p. Disponível em: <http://www.mpf.mp.br/pfdc/midiateca/saude-mental/censo_psicossocialSP.pdf/view>. Acesso em: 14 abr. 2021.

BASAGLIA, Franco. Riabilitazione e controllo sociale. Basaglia, F. Scritti II (1968-1980): dall’apertura del manicomio alla nuova legge sull’assistenza psichiatrica. Torino: Giulio Einaudi, p. 199-208, 1982.

BRASIL. Secretaria-Geral da Presidência da República. LOPES, Laís de Figueirêdo, DOS SANTOS; Bianca; e XAVIER, Iara Rolnik (orgs.). Marco regulatório das organizações da sociedade civil: a construção da agenda no governo federal – 2011 a 2014. Brasília: Governo Federal, 2014. 242 p. Disponível em: <http://plataformamaisbrasil.gov.br/images/docs/MROSC/Publicacoes_SG_PR/04.12.15_MROSC_ArquivoCompleto_Capa_Miolo.pdf>. Acesso em: 14 abr. 2021.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Coordenação Geral de Saúde Mental, Álcool e Outras Drogas. Saúde Mental em Dados 12, Ano 10, nº 12, outubro de 2015. Brasília: Ministério da Saúde, 2015. Informativo eletrônico de dados sobre a Política Nacional de Saúde Mental. 48 p. Disponível em: <http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2015/outubro/20/12-edicao-do-Saude-Mental-em-Dados.pdf>. Acesso em: 01 abr. 2021.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Coordenação-Geral de Saúde Mental, Álcool e Outras Drogas. Nota técnica nº 11/2019-CGMAD/DAPES/SAS/M: Esclarecimentos sobre as mudanças na Política Nacional de Saúde Mental e nas Diretrizes da Política Nacional sobre Drogas. Brasília, 2019a. Disponível em: <https://pbpd.org.br/wp-content/uploads/2019/02/0656ad6e.pdf>. Acesso em: 14 abr. 2021.

BRASIL. Conselho Federal de Psicologia. Mecanismo Nacional de Prevenção e Combate à Tortura. Conselho Nacional do Ministério Público. Ministério Público do Trabalho. Hospitais Psiquiátricos no Brasil: Relato?rio de inspec?o?es nacional/ Conselho Federal de Psicologia, Conselhos Regionais de Psicologia e Centro de Refere?ncia Te?cnica em Psicologia e Poli?ticas Pu?blicas, 1ª ed. Brasi?lia: CFP, 2019b. 553 p. Disponível em: <https://site.cfp.org.br/publicacao/hospitais-psiquiatricos-no-brasil-relatorio-de-inspecao-nacional/>. Acesso em: 14 abr. 2021.

CONECTAS; CEPEDISA. Direitos humanos na pandemia: Mapeamento e análises das normas jurídicas de resposta à covid-19 no Brasil, São Paulo, n. 10, 2021. Disponível em: <https://www.conectas.org/wp/wp-content/uploads/2021/01/Boletim_Direitos-na-Pandemia_ed_10.pdf>. Acesso em: 20 mar. 2021.

EGRY, Emiko Yoshikawa. Saúde coletiva: construindo um novo método em enfermagem. 1ª ed. São Paulo: Ícone; 1996.

MELLO, Thiago. Faz Escuro Mas Eu Canto. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2021. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/evento517903/faz-escuro-mas-eu-canto>. Verbete da Enciclopédia. Acesso em: 31 mar. 2021.

MONTEIRO DE BARROS, Anna Luiza. Cuidar em liberdade: o usuário cumprindo medida de segurança em CAPS III. 2013. Dissertação de mestrado em Cuidado em Saúde. Escola de Enfermagem, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013. 160 p. Disponível em: <https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/7/7141/tde-31072014-152831/pt-br.php>. Acesso em: 30 mar. 2021.

O BAR BIBITANTÃ: trabalho que transforma. Produção de Aicó Culturas. São Paulo, 2011. Vídeo em plataforma online (8min 22s). Disponível em: <https://vimeo.com/29198009>. Acesso em: 26 mar. 2021.

OXFAM INTERNACIONAL. O vírus da desigualdade: unindo um mundo dilacerado pelo coronavírus por meio de uma economia justa, igualitária e responsável. [S. l.], 2021. Disponível em: <https://www.oxfam.org.br/justica-social-e-economica/forum-economico-de-davos/o-virus-da-desigualdade/>. Acesso em: 20 mar. 2021.

PONTO BENEDITO ECONOMIA SOLIDÁRIA E CULTURA. São Paulo, 2019. Vídeo em plataforma online (2min 09s). Disponível em: <https://www.facebook.com/watch/?v=2191790204405892>. Acesso em: 16 abr. 2021.

PONTO DE ECONOMIA SOLIDÁRIA BUTANTÃ. São Paulo, 2019. Vídeo em plataforma online (10min 16s). Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=qohu0kbUSZI>. Acesso em: 13 abr. 2021.

RAMALHO, Simone Aparecida. Uma alegria subversiva: o que se aprende em uma escola de samba? 2010. Tese de doutorado em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano. Instituto de Psicologia, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010. 293 p. Disponível em: <https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/47/47131/tde-30072010-145438/pt-br.php>. Acesso em: 30 mar. 2021.

REDE DE SAÚDE MENTAL E ECONOMIA SOLIDÁRIA. Rede Sm e ECOSOL. [S. l.], 2021. Disponível em: <http://saudeecosol.org/rede-sm-e-ecosol/>. Acesso em 31 mar. 2021.

ROTGER, Íris Smaniotto Roschel. Cooperativismo Social na Itália e no Brasil: Estratégias de trabalho na saúde mental. [S. l.], 2020. Videoaula em plataforma online (2h, 22min, 28s). Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=t35KCmVpUTE>. Acesso em: 29 mar. 2021.

SÃO PAULO (Município). Processo 6018.2020/0038024-9, de 05 de março de 2021. Despacho Autorizatório. Diário Oficial [da Cidade de São Paulo]. São Paulo, v. 66, n. 44, p. 20, seção I, 2021. Disponível em: <https://www.imprensaoficial.com.br>. Acesso em: 16 abr. 2021.

SINGER, Paul Israel. Introdução à economia solidária. 1ª ed. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2002.