A EXPERIÊNCIA FORMATIVA NA RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL EM UM NÚCLEO DE PREVENÇÃO DE VIOLÊNCIAS E PROMOÇÃO DA SAÚDEA MULTIPROFISSIONAL EM SAÚDE

Conteúdo do artigo principal

Patrícia Mariano
https://orcid.org/0000-0001-8159-4688
Dipaula Minotto da Silva
Fabiane Ferraz
https://orcid.org/0000-0003-1782-6784
Luciane Ceretta
https://orcid.org/0000-0003-3294-341X

Resumo

No presente trabalho, objetivou-se analisar possíveis práticas no campo da prevenção das violências e da reparação de seus efeitos como estratégias de promoção na saúde mental coletiva. Trata-se de uma pesquisa narrativa sobre a inserção de uma psicóloga residente pelo Programa de Residência Multiprofissional em Saúde Mental e Atenção Psicossocial da UNESC, no Núcleo de Prevenção de Violências e Promoção da Saúde (NUPREVIPS), dispositivo da vigilância epidemiológica do município de Criciúma/SC, no ano de 2019. Destacou-se como importantes práticas a articulação e a mobilização de redes intersetoriais, a partir de metodologias como o matriciamento e práticas de educação em saúde. Estas contribuíram para o compartilhamento da atenção ao cuidado e garantia de direitos de pessoas que sofreram violências interpessoal, autoprovocada ou institucional; para discussão e elaboração de processos de trabalho em rede; bem como para o desenvolvimento de estratégias elaboradas para acolhimento e atendimento. Evidenciou-se que prevenção e posvenção no campo das violências não se dissociaram enquanto estratégias no campo da saúde mental coletiva, sobretudo no que tange a prevenção de agravos após a situação de violência ocorrida e está, de certa forma, defasada enquanto temática na formação profissional em psicologia e nas práticas de cuidado em saúde mental.

Detalhes do artigo

Como Citar
MARIANO, Patrícia; MINOTTO DA SILVA, Dipaula; FERRAZ, Fabiane; CERETTA, Luciane. A EXPERIÊNCIA FORMATIVA NA RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL EM UM NÚCLEO DE PREVENÇÃO DE VIOLÊNCIAS E PROMOÇÃO DA SAÚDEA MULTIPROFISSIONAL EM SAÚDE. Cadernos Brasileiros de Saúde Mental/Brazilian Journal of Mental Health, [S. l.], v. 16, n. 47, p. 94–115, 2024. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/cbsm/article/view/83179. Acesso em: 20 jul. 2024.
Seção
Artigos originais

Referências

ALVES, Domingos Sávio. Integralidade nas Políticas de Saúde Mental. In: PINHEIRO, Roseni; MATTOS, Ruben Araújo de (Org.). Os sentidos da integralidade na atenção e no cuidado à saúde. Rio de Janeiro: UERJ, IMS: ABRASCO, 2009. 171 a 180p.

AMARANTE, Paulo; NUNES, Mônica de Oliveira. A reforma psiquiátrica no SUS e a luta por uma sociedade sem manicômios. Ciência & Saúde Coletiva, 2018, vol.23, n.6, pp.2067-2074.

BARROS, Juliana de Oliveira et al. Estratégia do apoio matricial: a experiência de duas equipes do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF) da cidade de São Paulo, Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, São Paulo, v. 9, n. 20, p.2847-2856, dez. 2014.

BOSI, Maria Lúcia Magalhães. Pesquisa qualitativa em saúde coletiva: panorama e desafios. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 17, n. 3, p. 575-586, mar. 2012.

BRASIL. Lei nº 10.678, de 23 de maio de 2003. Cria a Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, da Presidência da República, e dá outras providências. Diário Oficial da União, 2003.

_______. Lei nº 11.129 de 30 de junho de 2005. Institui a Residência Multiprofissional em Área da Saúde e dá outras providências. Diário Oficial da União, 2005a.

_______. Ministério da Educação. Ministério da Saúde. Portaria Interministerial nº 2.117, de 03 de novembro de 2005. Institui no âmbito dos Ministérios da Saúde e da Educação, a Residência Multiprofissional em Saúde e dá outras providências. Diário Oficial da União, 2005b.

_______. Ministério da Educação. Ministério da Saúde. Portaria Interministerial nº 1.077 de 12 de novembro de 2009. Institui o Programa Nacional de Bolsas para Residências Multiprofissionais e em Área Profissional da Saúde e a Comissão Nacional de Residência Multiprofissional em Saúde. Diário Oficial da União, 2009.

_______. Ministério da Saúde. Guia prático de matriciamento em saúde mental. Dulce Helena Chiaverini (Organizadora). Brasília, DF: Centro de Estudo e Pesquisa em Saúde Coletiva, 2011.

_______. Ministério da Saúde. Ministério da Justiça. Portaria Interministerial nº 1 de 2 de janeiro de 2014. Institui a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde das Pessoas Privadas de Liberdade no Sistema Prisional (PNAISP) no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Diário Oficial da União, 2014.

_______. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância de Doenças e Agravos Não Transmissíveis e Promoção da Saúde. Viva: instrutivo notificação de violência interpessoal e autoprovocada. 2. ed. Brasília; Ministério da Saúde, 2016. 92 p.

_______. Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa. Departamento de Apoio à Gestão Participativa. Política Nacional de Saúde Integral da População Negra: uma política para o SUS. 3. ed. Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2017.

CRICIÚMA. Decreto SG/nº 647, de 3 de agosto de 2009. Compõe o Núcleo de Prevenção das Violências e Promoção da Saúde (NUPREVIPS) em Criciúma.

DAHLBERG, Linda L.; KRUG, Etienne G.. Violência: um problema global de saúde pública. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 11, supl. p. 1163-1178, 2006.

Diretoria de Vigilância Epidemiológica do Governo Estadual de Santa Catarina (DIVE-SC). Investigação de violência doméstica, sexual e/ou outras violências. Santa Catarina, 2021. Disponível em: http://200.19.223.105/cgi-bin/dh?sinan/def/violencia.def. Acesso em janeiro de 2021.

FERRAZ, Fabiane; et al. Educação permanente no trabalho como um processo educativo e cuidativo do sujeito-cuidador. Revista Gaúcha de Enfermagem, Porto Alegre, v. 27, n. 3, p. 344-350, 2006.

FREITAS, Fernando; AMARANTE, Paulo. Medicalização em Psiquiatria. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2017, 148p.

GALELI, Paola Rodegheri. Violência doméstica contra a mulher em Santa Catarina: panorama da notificação compulsória de casos. Dissertação de Mestrado. Criciúma: Universidade do Extremo Sul Catarinense, 2019. 71 p.

MALAMUT, Bernardo Salles; MODENA, Celina Maria; PASSOS, Izabel C. Friche. Violência e poder no discurso psiquiátrico: da exclusão sistemática às subjetivações normativas. Psicologia & Sociedade, Florianópolis, v. 23, n. spe, p. 53-62, 2011.

MALUF, Sonia Weidner. Sofrimento, 'saúde mental' e medicamentos: regimes de subjetivação e tecnologias do gênero. In: TORNQUIST, Carmen Susana et al. Leituras de resistência: corpo, violência e poder. Florianópolis: Editora Mulheres, 2009, 440p.

MINAYO, Maria Cecilia de Souza et al. Institucionalização do tema da violência no SUS: avanços e desafios. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 23, n. 6, p. 2007-2016, jun. 2018.

________. O poder de fazer história divulgando ciência. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 25, n. 12, p. 4651-4660, dez. 2020.

MORETTO, Maria Lívia Tourinho. Políticas Públicas, Psicanálise e o Lugar do Analista. In: BROIDE, Emília; KATZ, Ilana (org.). Psicanálise nos espaços públicos. São Paulo: IP/USP, 2019.

PASSOS, Rachel Gouveia. Trabalho, gênero e saúde mental: contribuições para a profissionalização do cuidado feminino. São Paulo: Cortez, 2018. 222p.

PRATA, Nina Isabel Soalheiro dos Santos et al. Saúde Mental e Atenção Básica: Território, violência e o desafio das abordagens psicossociais. Trabalho, educação e saúde: Rio de Janeiro, v. 15, n. 1, p. 33-53, abril 2017.

SCHAWANDT, Thomas A. Três posturas epistemológicas para a investigação qualitativa: interpretativismo, hermenêutica e construcionismo social. In: DENZIN, Norman K. et al. O planejamento da pesquisa qualitativa: teorias e abordagens. Porto Alegre: Artmed, 2006.

SCHRAIBER, Lilia Blima. Violência: questão de interface entre a saúde e a sociedade. Saúde e Sociedade, São Paulo, v. 23, n. 3, p. 727-729, set. 2014.

___________; D' OLIVEIRA, Ana Flávia Pires Lucas; COUTO, Márcia Thereza. Violência e saúde: contribuições teóricas, metodológicas e éticas de estudos da violência contra a mulher. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 25, supl. 2, p. s205-s216, 2009.

_______________ et al. Violência de gênero no campo da Saúde Coletiva: conquistas e desafios. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 14, n. 4, p. 1019-1027, ago. 2009.

SILVA, Dipaula Minotto da. Transformações na atenção em saúde mental de Criciúma/SC no período de 2001 a 2016. Dissertação de Mestrado. Criciúma: Universidade do Extremo Sul Catarinense, 2017.

TAMBOUKOU, Maria. A aventura da pesquisa narrativa. In: CORDEIRO, Rosineide; KIND, Luciana org. Narrativas, gênero e política. 1. ed. Curitiba: Editora CRV, 2016.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)