Compras públicas para enfrentamento da Covid-19: uma análise sob a lente da teoria contingencial

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8069.2021.e77000

Palavras-chave:

Covid-19, Teoria Contingencial, Classificações Orçamentárias e Licitatórias, aquisições Públicas

Resumo

A partir da teoria contingencial, este estudo analisa as características das aquisições públicas por dispensa de licitação para enfrentar a Covid-19. Assumindo que as incertezas relacionadas ao ambiente externo alteram a dinâmica das aquisições, abordaram-se as despesas empenhadas no Governo Federal durante 2020. Os dados compilados permitiram comparar as características das dispensas de licitação realizadas sob amparo da Lei 8.666/1993 e aquelas originadas da Lei 13.979/2020, específica para combater a pandemia. Utilizaram-se análises descritivas e teste chi-quadrado para verificar a associação entre as características e criar mapas perceptuais mediante análise de correspondência múltipla. Os resultados demonstram que, apesar da diferença entre os objetivos institucionais de cada órgão, há sintonia na aplicação dos recursos em relação à Covid-19. O custo dessas aquisições é elevado em razão do afrouxamento de limites gerado pela Lei 13.979/2020, denotando que as incertezas do ambiente externo são fundamentais para modificar pautas e alinhar os objetivos das instituições.

Biografia do Autor

Saulo Silva Lima Filho, Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Mestre em Contabilidade (UFPR)

Diretor de Contabilidade e Finanças da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Curitiba/PR, Brasil

Gislene Daiana Martins, Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR)

Mestre em Contabilidade (UFPR)

Professora Substituta do Departamento de Ciências Contábeis, Campus Pato Branco (UTFPR), Pato Branco/PR, Brasil

Blênio Cezar Severo Peixe, Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Doutor em Engenharia de Produção (UFSC)

Professor Associado da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Curitiba/PR, Brasil

Referências

Andrews, R., Beynon, M. J., & McDermott, A. M. (2016). Organizational capability in the public sector: a configurational approach. Journal of Public Administration Research and Theory, 26(2), 239-258. https://doi.org/10.5465/ambpp.2013.16224abstract

Beuren, I. M., & Fiorentin, M. (2014). Influência de fatores contingenciais nos atributos do sistema de contabilidade gerencial: um estudo em empresas têxteis do estado Rio Grande do Sul. Revista de Ciências da Administração, 16(38), 196-212. https://doi.org/10.5007/2175-8077.2014v16n38p195

Burns, T., & Stalker, G. M. (1961). The management of innovation. London, UK: Tavistock.

Cavichioli, D., Dall’asta, D., Fiirst, C., & Baldissera, J. F. (2018). Contingency factors that affect the implementation of the Public Sector Cost Information Subsystem (SICSP) in the perception of municipal controllers and accountants. Advances in Scientific and Applied Accounting, 11(2), 188-204. http://dx.doi.org/10.14392/asaa.2018110201

Chenhall, R. H. (2003). Management control systems design within its organizational context: findings from contingency-based research and directions for the future. Accounting, organizations and society, 28(2-3), 127-168. https://doi.org/10.1016/S0361-3682(01)00027-7

Christensen, M., & Yoshimi, H. (2003). Public sector performance reporting: new public management and contingency theory insights. Government Auditing Review, 10(3), 71-83.

Controladoria Geral da União. (2021). Portal da Transparência. Recuperado de http://www.portaltransparencia.gov.br/despesas/programa-e-acao?acao=21C0&ordenarPor=programa&direcao=asc

Costa Netto, Y. W. E. D. (2017). A relação entre poder intraorganizacional e a efetividade de mecanismos de governança de TI: um estudo de caso em uma organização pública do Rio Grande do Sul. (Dissertação de Mestrado), Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS.

Cretu, D. (2013). The characteristics of the budget process at the level of the local public administration in the rural sector. Management, Economic Engineering in Agriculture & Rural Development, 13(2), 89-94.

Donaldson, L. (2001). The contingency theory of organizations. Thousand Oaks, CA: Sage.

Espejo, M. M. D. S. B. (2008). Perfil dos atributos do sistema orçamentário contingencial: uma abordagem multivariada. (Tese de Doutorado), Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Atuária, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP.

Fávero, L. P., & Belfiore, P. (2017). Manual de análise de dados: estatística e modelagem multivariada com Excel®, SPSS® e Stata®. São Paulo, SP: Elsevier.

Giacomoni, J. (2019). Orçamento governamental: teoria, sistema, processo. São Paulo, SP: Atlas.

Hair, J. F., Black, W. C., Babin, B. J., Anderson, R. E., & Tatham, R. L. (2009). Análise multivariada de dados (6a ed.). Porto Alegre, RS: Bookman.

Hickson, D. J., Hinings, C. R., Lee, C. A., Schneck, R. E., & Pennings, J. M. (1971). A strategic contingencies' theory of intraorganizational power. Administrative Science Quarterly, 216-229.

Ibrahim, M. (2011). The rules of federal budget and final accounts in United Arab Emirates. International Journal of Law and Management, 53(3), 199-206. https://doi.org/10.1108/17542431111133427

Kaliuha, Y. (2016). The budget classification as the basis of the usage of the method of accrual in the public sector. Economics, 2(179), 22-28, 2016. http://dx.doi.org/10.17721/1728-2667.2016/179-2/3

Kassambara, A., & Mundt, F. (2020). Factoextra: extract and visualize the results of multivariate data analyses. Recuperado de http://www.sthda.com/english/rpkgs/factoextra

Klann, R. C., Kreuzberg, F., & Beck, F. (2014). Fatores de risco evidenciados pelas maiores empresas listadas na BM&Bovespa. Revista de Gestão Ambiental e Sustentabilidade, 3(3), 78-89. http://dx.doi.org/10.5585/geas.v3i3.95

Lê, S., Josse, J., & Husson, F. (2008). Facto MineR: an R package for multivariate analysis. Journal of Statistical Software, 25(1), 1-18. http://dx.doi.org/10.18637/jss.v025.i01

Lei 8.666, de 21 de junho de 1993. (1993). Regulamenta o art. 37, inciso XXI, da Constituição Federal, institui normas para licitações e contratos da Administração Pública e dá outras providências. Diário Oficial da União. Recuperado de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8666cons.htm

Lei 13.979, de 6 de fevereiro de 2020. (2020). Dispõe sobre as medidas para enfrentamento da emergência de saúde pública de importância internacional decorrente do coronavírus responsável pelo surto de 2019. Diário Oficial da União. Recuperado de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2019-2022/2020/lei/l13979.htm

Lima, D. V. (2018). Orçamento, contabilidade e gestão no setor público. São Paulo, SP: Atlas.

Medida Provisória 961, de 6 de maio de 2020. (2020). Autoriza pagamentos antecipados nas licitações e nos contratos, adequa os limites de dispensa de licitação e amplia o uso do Regime Diferenciado de Contratações Públicas – RDC durante o estado de calamidade pública reconhecido pelo Decreto Legislativo nº 6, de 20 de março de 2020. Diário Oficial da União. Recuperado de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2019-2022/2020/Mpv/mpv961.htm

Mikesell, J. L., & Mullins, D. R. (2001). Reforming budget systems in countries of the former Soviet Union. Public Administration Review, 61(5), 548-568. https://doi.org/10.1111/0033-3352.00127

Ministério da Fazenda. (2019). Manual de contabilidade aplicada ao setor público (8a ed.). Brasília, DF: Secretaria do Tesouro Nacional. 2019.

STG. Sistema de Tesouro Gerencial. Secretaria do Tesouro Nacional. (2020). Recuperado de https://tesourogerencial.tesouro.gov.br/servlet/mstrWeb?pg=login

Otley, D. (2016). The contingency theory of management accounting and control: 1980-2014. Management Accounting Research, 31, 45-62. http://doi.org/10.1016/j.mar.2016.02.001

R Foundation. (2010). A language and environment for statistical computing. Recuperado de http://www.R-project.org

Sell, F. F., Beuren, I. M., & Lavarda, C. E. F. (2020). Influência de fatores contingenciais no desempenho municipal: evidências inferenciais. Revista de Contabilidade e Organizações, 14, 1-13. https://doi.org/10.11606/issn.1982-6486.rco.2020.164058

Trilha, C. C. S., Alves, G. K., Nunes, R. S. (2018). Evaluation of procurement processes without bidding: a study at a federal university. Nevus, 8(2), 73-86.

Vieira, L., Andrade, D. M., & Ferreira, P. A. (2018). Estudo do Sistema de cotação eletrônica em uma empresa pública do estado de Minas Gerais. Revista Gestão & Tecnologia, 18(3), 270-291.

Wadongo, B., & Abdel-Kader, M. (2014). Contingency theory, performance management and organisational effectiveness in the third sector. International Journal of Productivity and Performance Management, 63(6), 680-703. https://doi.org/10.1108/IJPPM-09-2013-0161

Wickham, H. (2007). Reshaping data with the reshape package. Journal of Statistical Software, 21(12), 1-20. https://doi.org/10.18637/jss.v021.i12

Publicado

2021-07-20

Como Citar

Lima Filho, S. S., Martins, G. D., & Peixe, B. C. S. . (2021). Compras públicas para enfrentamento da Covid-19: uma análise sob a lente da teoria contingencial. Revista Contemporânea De Contabilidade, 18(48), 40-55. https://doi.org/10.5007/2175-8069.2021.e77000

Edição

Seção

Artigos