Problematizações das tecnologias digitais na formação do professor de história no contexto amazônico

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7976.2020.e68318

Palavras-chave:

Tecnologias digitais, Ensino de história, Formação de professores

Resumo

O presente artigo reflete sobre as possibilidades de formação de graduandos de licenciatura, pensando em diferentes usos das tecnologias digitais de informação e comunicação, elegendo como ponto de partida para essa problematização o trabalho docente em contextos diferenciados da Amazônia. Foi pautado em revisão bibliográfica que aborda discussões sobre tecnologias digitais da informação e da comunicação e seu envolvimento com a história social da Amazônia, região do Xingu, a fim de responder à questão: Como atender as demandas das tendências de inovação científica e tecnológica no contexto das Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação (TDICs), na formação de professores? Como resultado, chegamos ao entendimento de que as tecnologias são consequências do processo de evolução da sociedade e que sua aplicação abrange aspectos do desenvolvimento em diversos setores, estando ligado à melhoria da qualidade de vida da população. Desse modo, a educação é o campo em que seu emprego pode ser difundido, havendo então necessidade de investimento na formação de professores nessa área do conhecimento.

Biografia do Autor

Leonardo Zenha Cordeiro, Universidade Federal do Pará, Faculdade de Educação, Altamira, PA, Brasil

Possui graduação em pedagogia pela Universidade Federal de Minas Gerais (2005). Especialização em Educação a Distância(2006)Senac -MG. Mestre em Educação pela Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais(2010). Doutor(2016) em Politicas Públicas e Formação Humana na Universidade Estadual do Rio de Janeiro. Pesquisa envolvendo o Ensino Médio, cibercultura e cultura Digital . Professor Dedicação Exclusiva na Universidade Federal do Pará . Tem experiência na área de Educação, cultura digital, Educação a distância, atuando principalmente nos seguintes temas: Educação e Novas Tecnologias da Informação e Comunicação,Formação de Professores, Educação do Campo, Educação a Distância e juventudes.

Renato Pinheiro da Costa, Universidade Federal do Pará, Faculdade de Educação, Altamira, PA, Brasil

Referências

ALVES, Nilda. Sobre movimentos das pesquisas nos/dos/com os cotidianos. TEIAS, Rio de Janeiro, a. 4, n. 7-8, p. 1-8, jan./dez. 2003.

ANUÁRIO DE BELÉM (1616 a 1916). Histórico, literário e comercial. Organizado em colaboração por um grupo de intelectuais, por iniciativa do Eng. Inácio Mora. Belém: Imprensa Oficial, 1915.

BAUMAN, Zygmunt. Amor líquido: sobre a fragilidade dos laços humanos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2004.

BONDIA, Jorge Larrosa. Notas sobre a experiência e o saber de experiência. Rev. Bras. Educ., Rio de Janeiro, n. 19, p. 20-28, 2002. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbedu/n19/n19a02.pdf. Acesso em: 12 out. 2019.

BRASIL. Perguntas e respostas do Future-se, programa de autonomia financeira da educação superior. O que é o Future-se? Disponível em: http://portal.mec.gov.br/busca-geral/12-noticias/acoes-programas-e-projetos-637152388/78351-perguntase-respostas-do-future-se-programa-de-autonomia-financeira-do-ensino-superior. Acesso em: 26 set. 2019.

BRUZZI, D. G. Uso da tecnologia na educação, da história à realidade atual. Polyphonia: Revista de Educação Básica do Cepae, Goiânia, v. 27, p. 475-483, 2016.

BUENO, Ricardo. Borracha na Amazônia: as cicatrizes de um ciclo fugaz e o início da industrialização. Porto Alegre: Quattro Projetos, 2012.

CAMPOS, Fernanda Araújo Coutinho. Convergência na educação: processos, tecnologias digitais e relações pedagógicas. Tese (Doutorado). Faculdade de Educação. Universidade Federal de Minas Gerais, Programa de Pós-Graduação em Educação: Conhecimento e Inclusão Social, Belo Horizonte, 2017.

CANDAU, Vera Maria. Multiculturalismo e educação: desafios para a prática pedagógica, In: CANDAU, Vera Maria; MOREIRA, Antônio Flavio (org.). Multiculturalismo: diferenças culturais e práticas pedagógicas. Petrópolis: Vozes, 2010. 249 p.

CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede: a era da informação: economia, sociedade e cultura. Rio de Janeiro: Paz e Terra, v.1, 1999.

CASTELLS, Manuel. O poder da comunicação. 1. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2015.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano: artes do fazer. 16 ed. Petrópoliso: Vozes, 2009.

ESTADO DO PARÁ. Jornal de Propriedade de uma sociedade anônima, Belém, a. 1, edição 235, 1911. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/docreader.aspx?bib=800082&pasta=ano%20191&pesq=Altamira. Acesso em: 12 set. 2019.

FAINGUELERNT, Mauro. A câmera escura e a fotografia. In: Scientiarum Historia VII: Filosofia, ciências e artes: conexões interdisciplinares. 2014. Rio de Janeiro. Anais: UFRJ, v. 1, p. 85-94, 2014. Disponível em: http://www.hcte.ufrj.br/downloads/sh/sh7/SH/trabalhos%20orais%20completos/A-CAMERA-ESCURA-E-A-FOTOGRAFIA.pdf. Acesso em: 15 de set. 2019.

FAPESPA. Disponível em: http://www.fapespa.pa.gov.br/sistemas/anuario2017/mapas/territorio/ter2_regioes_de_integracao_do_para.png. Acesso em 24 set. 2019.

FISCHER, Maria Clara Bueno; TIRIBA, Lia. Jovens trabalhadores associados na produção da vida: entre o desemprego, a precarização do trabalho e a economia popular solidária. In: Ministério da Educação. Debate: Juventudes em rede: Jovens produzindo educação, trabalho e cultura. Salto para o Futuro, Boletim nº 24. Brasílai : SEED-MEC, 2007.

HERRERA, J. A.; SANTANA, Nelivaldo Cardoso. Empreendimento hidrelétrico e famílias ribeirinhas na Amazônia: desterritorialização e resistência à construção da hidrelétrica Belo Monte, na Volta Grande do Xingu. GEOUSP: espaço e tempo, São Paulo, v. 20, n. 2, p. 250-266, 2016. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/geousp/article/view/122657/122600. Acesso em: 26 set. 2019.

KENSKI Vani Moreira. Tecnologias e ensino presencial e a distância. Campinas: Papirus, 2003. (Série Prática Pedagógica); KERCKHOVE, Derrick de. A pele da cultura. São Paulo: Annablume, 2009.

KOHLHEPP, Gerd. Conflitos de interesse no ordenamento territorial da Amazônia brasileira. Revista Estudos Avançados, São Paulo, v. 16, n. 45, p. 37-61, 2002. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ea/v16n45/v16n45a04.pdf. Acesso em: 26 set. 2019.

LE GOFF, Jacques. A Nova História. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

LEMOS André. Cibercultura, tecnologia e vida social na cultura contemporânea. Porto Alegre: Sulina, 2002.

LÉVY, Pierre. A inteligência coletiva. Por uma antropologia do ciberespaço. São Paulo: Loyola, 1998.

LÉVY, Pierre. As tecnologias da inteligência: o futuro do pensamento na era da informática. Rio de Janeiro: Editora 34,1993.

LÉVY, Pierre. Cibercultura. São Paulo: Editora 34, 1999.

LÉVY, Pierre. Filosofia World: o mercado; o ciberespaço; a consciência. Lisboa: Instituto Piaget, 2001.

LIBÂNEO, José Carlos. Didática. 2.ed. São Paulo: Cortez, 2013.

MACEDO, Neusa Dias de. Iniciação à pesquisa bibliográfica: guia do estudante para a fundamentação do trabalho de pesquisa. São Paulo: Edições Loyola, 1994.

MASAGÃO, Marcelo. Nós que aqui estamos por vós esperamos. Direção, Produção e Roteiro: Marcelo Masagão. Documentário. Rio de Janeiro: Rio Filmes, 1999. DVD (73 min).

MENSAGEM. Relatório da Presidência dos Estados Brasileiros. Congresso Legislativo do Estado do Pará. Belém: Imprensa Oficial, 1912. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/docreader.aspx?bib=720437&pasta=ano%20191&pesq=Altamira. Acesso em: 19 set. 2019.

NEGROPONTE, Nicholas. A vida digital. Trad. Sérgio Tellaroli. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

NETO, José Queiroz de Miranda; HERRERA, José Antônio. Altamira-PA: novos papéis de centralidade e reestruturação urbana a partir da instalação da UHE Belo MonteAltamira - PA: Confins: Revista Franco-Brasileira de Geografia, Paris, n. 28, p. 1-28, 2016. Disponível em: https://journals.openedition.org/confins/pdf/11284. Acesso em: 26 set. 2019.

PRETTO, Nelson de Luca. O desafio de educar na era digital: educações. Revista Portuguesa de Educação, Braga, v. 24, n. 1, p. 95-118, 2011.

PRETTO, Nelson de Luca. Educações, culturas e hackers: escritos e reflexões. Salvador: EdUFBA, 2017.

SALDAÑA, Paulo. Corte é maior do que 30% do orçamento livre em mais da metade das federais. Folha de S. Paulo, São Paulo, 2019. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/educacao/2019/05/corte-e-maior-do-que-30-do-orcamento-livre-em-maisda-metade-das-federais.shtml. Acesso em: 26 set. 2019.

SANCHO, Juana Maria. A tecnologia: um modo de transformar o mundo carregado de ambivalência. In: SANCHO, Juana Maria (org.). Para uma tecnologia educacional. Trad. Beatriz Affonso Neves. Porto Alegre: Artmed, 1998.

SANTOS, Edméa. Pesquisa-formação na cibercultura. Santo Tirso: Whitebooks, 2014.

SILVEIRA, Sérgio Amadeu. Democracia e os códigos invisíveis: como os algoritmos estão modulando comportamentos e escolhas políticas. São Paulo: Edições SESCSP, v.1, 2019.

SPOSITO, Eliseu Savério. O novo mapa da indústria no início do século XXI. São Paulo: Editora da Unesp Digital, 2015.

UFPA. Universidade Federal do Pará. Projeto Pedagógico do Curso de História. Ananindeua, 2017. Disponível em: https://drive.google.com/file/d/1eMHDTlAMqw-EDfvskZXiMgEc9y_PwO_I/view. Acesso em: 16 out. 2019.

Downloads

Publicado

2020-06-19

Edição

Seção

Dossiê "História global e digital: novos horizontes para a investigação histórica"