Aplicação de metodologias ativas de ensino-aprendizagem no planejamento de estratégias de saúde para a pessoa com diabetes

Autores

  • Ângelo Bento Silva Universidade do Estado do Amazonas
  • Davi Paranhos Fontes Alves Universidade do Estado do Amazonas
  • Dayana Souza Ferreira Universidade do Estado do Amazonas
  • Nayara de Oliveira Bitencourt Universidade do Estado do Amazonas
  • Rubenira Mota Rego Universidade do Estado do Amazonas
  • Maurício Bacarin Silva Universidade do Estado do Amazonas https://orcid.org/0000-0003-4944-2662

DOI:

https://doi.org/10.5007/1807-0221.2021.e77411

Palavras-chave:

Tecnologia Educacional, Equipe de Assistência ao Paciente, Educação em Saúde, Atenção Primária à Saúde

Resumo

Objetivo: Esse relato de experiência tem a intenção de promover o uso de metodologias ativas de ensino-aprendizagem com uma equipe multiprofissional visando a melhoria do processo de trabalho no cuidado à pessoa com diabetes na Atenção Primária à Saúde (APS), do Sistema Único de Saúde (SUS). Método: A vivência coletiva envolveu as atividades de construção e aplicação de metodologias ativas de ensino-aprendizagem com a equipe de Estratégia Saúde da Família (ESF) e do Núcleo Ampliado de Saúde da Família (NASF), para aprimorar a assistência à pessoa com diabetes. Resultados: Foi possível identificar problemas no processo de trabalho, verificar aquele que a equipe teria governabilidade para intervir e apontar as suas possíveis causas no diagrama de Ishikawa. Conclusão: A Educação Permanente em Saúde Pública amplia o olhar dos profissionais da APS sobre o processo de trabalho ao promover o desenvolvimento de suas capacidades intrínsecas de ação interprofissional da ESF e do NASF. Período: Ocorreu entre maio/2019 a fevereiro/2020.

Biografia do Autor

Ângelo Bento Silva, Universidade do Estado do Amazonas

Estudante de especialização em Saúde Pública com ênfase em Estratégia Saúde da Família pela Universidade do Estado do Amazonas. Bacharel em Educação Física pela UNINORTE. Licenciatura em Educação Física pela Faculdade Metropolitana de Rondônia.

Davi Paranhos Fontes Alves, Universidade do Estado do Amazonas

Estudante de especialização em Saúde Pública com ênfase em Estratégia Saúde da Família pela Universidade do Estado do Amazonas. Graduação em Enfermagem pela Universidade do Estado do Amazonas.

Dayana Souza Ferreira, Universidade do Estado do Amazonas

Estudante de especialização em Saúde Pública com ênfase em Estratégia Saúde da Família pela Universidade do Estado do Amazonas. Graduação em Farmácia pela UNINORTE.

Nayara de Oliveira Bitencourt, Universidade do Estado do Amazonas

Estudante de especialização em Saúde Pública com ênfase em Estratégia Saúde da Família pela Universidade do Estado do Amazonas. Graduação em Fisioterapia pela Universidade Federal do Amazonas.

Rubenira Mota Rego, Universidade do Estado do Amazonas

Estudante de especialização em Saúde Pública com ênfase em Estratégia Saúde da Família pela Universidade do Estado do Amazonas. 

 

Maurício Bacarin Silva, Universidade do Estado do Amazonas

Doutor em Biotecnologia pela Universidade Federal do Amazonas. Mestre em Ciências da Saúde pela Universidade Federal do Amazonas. Bacharel em Odontologia pela Universidade Estadual Paulista. Cirurgião-dentista da Estratégia Saúde da Família da Secretaria Municipal de Saúde de Manaus - AM.

Referências

ALMEIDA, J. R. S.; BIZERRIL, D. O.; SALDANHA, K. de G. H.; ALMEIDA, M. E. L. Educação Permanente em Saúde: uma estratégia para refletir sobre o processo de trabalho. Revista da ABENO, v.16, n.2, p.7-15, 2016. Disponível em: https://revabeno.emnuvens.com.br/revabeno/article/view/248.DOI: https://doi.org/10.30979/rev.abeno.v16i2.248. Acesso em: 20 de ago. 2020.

ANASTASIOU, Lea das Graças Camargos; ALVES, Leonir Pessate. (orgs.). Processos de ensinagem na universidade: pressupostos para as estratégias de trabalho em aula. Joinville, SC: UNIVILLE, 2003.

ARAÚJO, I. D. T. et al. Atenção à Saúde Bucal de Idosos Institucionalizados na ótica da Gestão e da Atenção Primária. In: Congresso Nacional de Envelhecimento Humano, 2016, Natal. Anais. Campina Grande: Editora Realize, 2016. Disponível em: https://www.editorarealize.com.br/editora/anais/cneh/2016/TRABALHO_EV054_MD2_SA10_ID345_15082016145750.pdf. Acesso em: 20 de ago. 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria GM/MS nº 2.436, de 21 de setembro de 2017. Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes para a organização da Atenção Básica, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Brasília: Diário Oficial da União, 2017.

CARVALHO-FILHA, F. S. S.; NOGUEIRA, L. T.; MEDINA, M. G. Avaliação do controle de hipertensão e diabetes na Atenção Básica: perspectiva de profissionais e usuários. Saúde Debate [online], Rio de Janeiro, v.38, n.spe, p. 265-278, out. 2014. Disponível em: https://www.scielo.br/j/sdeb/a/cz7Qw4r6VFqGk5cXT9G5J5j/?lang=pt. DOI: https://doi.org/10.5935/0103-1104.2014S020. Acesso em: 31 de ago. 2020.

COLARES, K. T. P.; OLIVEIRA, W. Metodologias Ativas na formação profissional em saúde: uma revisão. Revista Sustinere, Rio de Janeiro, v.6, n.2, p.300-320, jul-dez. 2018. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/sustinere/article/view/36910. Acesso em: 09 set. 2020.

CUSTODIA, J. F. et al. Práticas didáticas construtivistas: critérios de análise e caracterização. TED, Bogota, n. 33, p.11-35, 2013.

FIORIN, J. M. A. et al. Uso do diagrama de ishikawa associado ao planejamento estratégico: experiência na graduação em enfermagem. Revista UNINGÁ Review, [S.l.], v. 26, n. 3, jun. 2016. Disponível em: http://revista.uninga.br/index.php/uningareviews/article/view/1809. Acesso em: 27 jul. 2021.

FONTBONNE, A. et al. Relações entre os atributos de qualidade de atenção aos usuários hipertensos e diabéticos na Estratégia Saúde da Família e o controle dos fatores prognósticos de complicações. Cadernos Saúde Coletiva [online], Rio de Janeiro, v.26, n.4, p.418-424, nov. 2018. Disponível em: https://www.scielo.br/j/cadsc/a/gbXRg6ZChTNRxktVPDFTzGC/?lang=pt. DOI: https://doi.org/10.1590/1414-462X201800040208. Acesso em: 01 de set. 2020.

GAMA, C. A. P.; GUIMARÃES, D. A.; ROCHA, G. N. G. Diabetes Mellitus e atenção primária: percepção dos profissionais sobre os problemas relacionados ao cuidado oferecido às pessoas com diabetes. Pesquisas e Práticas Psicossociais, São João del Rei, v.12, n.3, p.1-16, set-dez. 2017. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1809-89082017000300013. ISSN 1809-8908. Acesso em: 31 de ago. 2020.

GODOI, B. B.; LEITE, L. F. A. Educação permanente em agentes comunitários de saúde: experiência de um projeto de intervenção. Extensio: R. Eletr. de Extensão. Florianópolis, v.17, n.35, p.138-46. 2020. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/extensio/article/view/1807-0221.2020v17n35p138/43033. DOI: https://doi.org/10.5007/1807-0221.2020v17n35p138. Acesso em: 01 de set. 2020.

LIMA, N. S. et al. Ishikawa Diagram: Causes and Solutions of Hiv Infection in Nursing Professionals Due to Sharps Use. Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online, v. 11, n. 3, p. 707, 2019.

MORGADO, José Carlos. Processo de Bolonha e Ensino Superior num mundo globalizado. Educ. Soc., Campinas, vol. 30, n. 106, p. 37-62, jan./abr. 2009.

PERES, C.; SILVA, R. F.; BARBA, P. C. S. D. Desafios e potencialidades do processo de educação permanente em saúde. Trab. Educ. Saúde [online], Rio de Janeiro, v.14, n.3, p.783-801, set. 2016. Disponível em: www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1981- 77462016000300783. DOI: https://doi.org/10.1590/1981-7746-sol00016. Acesso em: 01 de set. 2020.

PINHEIRO, G. E. W.; AZAMBUJA, M. S.; BONAMIGO, A. W. Facilidades e dificuldades vivenciadas na Educação Permanente em Saúde, na Estratégia Saúde da Família. Saúde Debate, Rio de Janeiro, v.42, n.especial 4, p.187-197, dez. 2018. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-11042018000800187. DOI: https://doi.org/10.1590/0103-11042018S415. Acesso em: 05 de set. 2020.

RADIGONDA, B. et al. Avaliação do acompanhamento de pacientes adultos com hipertensão arterial e ou diabetes melito pela Estratégia Saúde da Família e identificação de fatores associados, Cambé-PR, Brasil, 2012. Epidemiol. Serv. Saúde [online], Brasília, v.25, n.1, p.115-126, jan-mar. 2016. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ress/a/c8V4Z7TFVSHHkdCXhch97by/abstract/?lang=pt. DOI: https://doi.org/10.5123/S1679-49742016000100012. Acesso em: 05 de set. 2020.

RUÉ, Joan. El aprendizaje autónomo en educación superior. Madrid: Narcea, 2009.

SASS, A. et al. Depressão em idosos inscritos no Programa de Controle de hipertensão arterial e diabetes mellitus. Acta Paul. Enferm. [online], São Paulo, v.25, n.1, p.80-85. 2012. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ape/a/vnQtn7dfmFJMmXyfqgmpTSn/abstract/?lang=pt. DOI: https://doi.org/10.1590/S0103-21002012000100014. Acesso em: 05 de set. 2020.

SILVA, D. F. et al. Causas e Estratégias de Soluções para Hanseníase em Crianças: Diagrama de Ishikawa. Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental [Online], v. 11, n. 3, p. 739, 2019.

ZANFERRARI, P. M. et al. Desenvolvimento e aplicação de instrumento administrativo para orientação das pesquisas em telefonoaudiologia. Revista CEFAC, v. 18, n. 2, p. 459–469, 2016.

Downloads

Publicado

2021-08-26