Investigação de Perfis Conceituais em uma atividade experimental sobre Força Magnética no Ensino Médio

Autores

  • Ulisses Azevedo Leitão Universidade Federal de Lavras http://orcid.org/0000-0002-1542-7213
  • José Amilton Fernandes Escola Estadual prefeito Celso Vieira Vilela, Heliodora, MG Escola Estadual Coronel Gabriel Capistrano, São Sebastião da Bela Vista, MG
  • Gilberto Lage Colaborador do Polo UFLA (Universidade Federal de Lavras) do MNPEF/SBF (Mestrado Profissional em Ensino de Física/Sociedade Brasileira de Física)

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7941.2018v35n1p290

Palavras-chave:

Perfis Conceituais, Obstáculo Epistemológico, Conflito Cognitivo, Ensino de Física, Interação Magnética

Resumo

O presente artigo apresenta o desenvolvimento de uma sequência didática para o ensino-aprendizagem do conceito de força magnética sobre cargas em movimento, em uma abordagem experimental semiestruturada. Descreve-se a concepção e o desenvolvimento de um protótipo experimental para medir a força magnética e discute-se as configurações testadas. Propõe-se uma estratégia de transposição didática que visa o questionamento conceitual, utilizando o conflito cognitivo como estratégia metodológica para instigar a evolução dos perfis conceituais dos estudantes, com foco na questão das relações de simetria da interação magnética. A proposta de análise se baseia na epistemologia de Bachelard e na Teoria de Perfis Conceituais. Os resultados permitem comprovar a eficácia da metodologia proposta, bem como a necessidade de fomentar a diferenciação conceitual entre as interações elétrica e magnética. O uso do protótipo permite construir o conceito de regra da mão direita e sua aplicação na formalização do tema a partir da evidência experimental.

 

 

Biografia do Autor

Ulisses Azevedo Leitão, Universidade Federal de Lavras

Professor do Programa de Mestrado Nacional de Ensino de Física coordenado pela Sociedade Brasileira de Física. Possui graduação em Física pela Universidade Federal de Minas Gerais (1980), mestrado em Física pela Universidade Federal de Minas Gerais (1984) e doutorado em Física pela Gerhard Mercator Universität Duisburg, Alemanha (1988). Foi pesquisador associado e professor visitante da Universidade Federal de Pernambuco, professor adjunto da Universidade Federal de Minas Gerais e Diretor Acadêmico do Instituto Doctum. Atualmente, é professor e pesquisador no Departamento de Ciências Exatas da Universidade Federal de Lavras, na área de Pesquisa em Ensino de Física. Suas linhas de pesquisa são baseadas no referencial teórico de Ciclos de Modelagem (Hestenes), Perfis conceituais (Mortimer), e a aplicação da Teoria de Resposta ao Item na análise e interpretação de resultados de instrumentos avaliativos, para avaliação da aprendizagem e avaliações de larga escala. Investiga a aplicação de atividades experimentais e o uso de laboratórios virtuais e laboratórios remotos no ensino de Física e Matemática. Foi presidente do Comitê Científico do ESUD, edições 2011, 2013 e 2014. Atualmente é o chefe do Departamento de Ciências Exatas da Universidade Federal de Lavras, gestão 2016-2020.

José Amilton Fernandes, Escola Estadual prefeito Celso Vieira Vilela, Heliodora, MG Escola Estadual Coronel Gabriel Capistrano, São Sebastião da Bela Vista, MG

Mestrado em Ensino de Física pelo programa de Mestrado Nacional Profissional em Ensino de Física – Polo Universidade Federal de Lavras – UFLA (Conceito CAPES 4). Bacharelado em Engenharia Elétrica pelo Instituto Nacional de Telecomunicações Santa Rita do Sapucaí, Licenciatura em Física pelo Programa Especial de Formação Pedagógica no Instituto de Educação e Tecnologia (INET). Professor de Física na Educação Básica desde 1986, atualmente, lecionando na Escola Estadual prefeito Celso Vieira Vilela, em Heliodora, MG, e na Escola Estadual Coronel Gabriel Capistrano, em São Sebastião da Bela Vista, MG.

Gilberto Lage, Colaborador do Polo UFLA (Universidade Federal de Lavras) do MNPEF/SBF (Mestrado Profissional em Ensino de Física/Sociedade Brasileira de Física)

Graduação em Licenciatura em Física pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1973), campus de Rio Claro/SP, mestrado em Energia Nuclear na Agricultura pelo Centro de Energia Nuclear na Agricultura (CENA/ESALQ/USP 1978) e doutorado em Agronomia (Energia na Agricultura) pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1991), campus de Botucatu/SP, e Pós-Doutorado Plant Research International – PRI/Wageningen/Netherlands (1999-2000) – Laser aplicado em materiais biológicos. Tem experiência na área de Métodos Instrumentais de Análises, atuando principalmente nos seguintes temas: Termopilhas de filmes finos, Piranômetro, Saldo Radiômetro, Albedômetro, e Balanço de radiação solar. Foi coordenador do curso de Licenciatura em Física da Universidade Federal de Lavras. Pesquisador colaborador do Polo UFLA do MNPEF/SBF.

Downloads

Publicado

2018-04-25

Edição

Seção

Atividades experimentais no ensino de Física