Uma contribuição à construção de espelhos parabólicos

Leandro Aparecido Nogueira de Paula, Pedro Miguel Raggio Santos, André Koch Torres de Assis

Resumo


Apresentamos um novo procedimento para a construção de
espelhos parabólicos utilizando materiais de baixo custo.
Construímos um sistema girante composto por fios de náilon,
anzóis de pesca e uma bacia de plástico. Colocamos gesso líquido
na bacia e a colocamos em rotação constante em relação à Terra.
Um líquido adquire um perfil parabólico ao girar com uma
velocidade angular constante em um referencial inercial na
presença de um campo gravitacional uniforme vertical. Ao
mantermos o gesso girando por um longo tempo, ele solidifica no
formato parabólico. Usamos este parabolóide de gesso
solidificado como modelo para construir um contra-molde de fibra
de vidro e resina. Sobre este contra-molde esticamos papel
laminado e em seguida despejamos gesso pastoso sobre ele. Com
isto obtém-se um espelho parabólico feito de papel laminado e
gesso. Nosso objetivo aqui é apenas o de apresentar um
procedimento novo para a construção de espelhos parabólicos
utilizando materiais de baixo custo. Isto permite que este
procedimento seja explorado por professores e alunos de ensino
médio e universitário.

Palavras-chave


Espelho parabólico; materiais de baixo custo

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5007/%25x

 


Cad. Bras. Ens. Fís. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil - - - eISSN 2175-7941 - - - está licenciada sob Licença Creative Commons
> > > > >