“Vamos parar de pensar erado, vamos falar[escrever] certo”: reflexões sobre as dificuldades de escrita em textos de alunos do final do Ensino Fundamental inseridos em contextos bilíngue

Autores

  • Marizete Bortolanza Spessatto UFSC/Unochapecó
  • Nilcéa Lemos Pelandré UFSC

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-8412.2010v7n1p46

Palavras-chave:

Escrita, Ensino Fundamental, Contexto Bilíngue

Resumo

Neste artigo são analisadas escritas de estudantes concluintes do Ensino Fundamental de uma escola da Rede Pública de Santa Catarina. O objetivo é refletir sobre as capacidades de escrita desses alunos face aos domínios linguísticos necessários à produção de textos, e o trabalho pedagógico do professor ao lidar com os saberes e as dificuldades dos estudantes com a modalidade escrita da língua. Esta pesquisa caracteriza-se como um estudo de caso de cunho etnográfico. A análise de um corpus de treze produções escritas fundamenta-se em Bakthin (2000), Geraldi (1995), Perissé (2004), Soares (1986; 2001), dentre outros. Os resultados evidenciam a necessidade de um ensino capaz de propiciar as condições de aprendizagem para o exercício autônomo da escrita, o desenvolvimento da subjetividade e a construção de uma identidade enquanto sujeitos produtores de linguagem, no decorrer de todo o ensino fundamental.

Biografia do Autor

Marizete Bortolanza Spessatto, UFSC/Unochapecó

Professora da Área de Ciências Humanas e Jurídicas da Unochapecó e doutoranda em Educação pela UFSC.

Nilcéa Lemos Pelandré, UFSC

Doutora em Linguística e professora do PPGE/UFSC.

Downloads

Publicado

2010-12-24

Edição

Seção

Artigo