Interpretação e atuaçãos dos professores

Angela Derlise Stübe

Resumo


Neste texto, refletimos sobre uma noção cara à análise de discurso e pertinente ao campo de reflexão sobre a formação de professores: a noção de interpretação. Centramo-nos em uma perspectiva teórica que concebe a formação do sujeito como constituída pela memória discursiva, abarcando outros dizeres historicamente construídos e que o sujeito reatualiza em seu discurso. Em vista disso, nós entendemos a interpretação como um gesto, ou seja, um ato no nível simbólico, lugar próprio da ideologia e materializado pela história. Metodologicamente, gravamos, em áudio, 15 horas de atividades de interpretação efetuadas em uma turma de quinto ano do ensino fundamental, após as transcrevemos e descrevemos regularidades discursivas. Nas análises, a regularidade encontrada pelo gesto de interpretação foi o processo de manutenção e tomada da palavra, que rompe com a sequência discursiva. Na prática discursiva do sujeito no discurso pedagógico, mostrou-se regular a interrupção do fio discursivo, como forma de deslocar sentidos e indiciar outros processos interpretativos.


Palavras-chave


interpretação; discurso pedagógico; posição-sujeito.

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/1984-8412.2011v8n1p107

Direitos autorais

Creative Commons License

Esta publicação está regida por uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Fórum Linguístico, ISSNe 1984-8412, Florianópolis (Santa Catarina), Brasil