Concordância verbal de terceira pessoa do plural no Português Europeu: variação ou regra semicategórica?

Autores

  • Cássio Florêncio Rubio Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-8412.2015v12n3p786

Palavras-chave:

Concordância verbal, Português europeu, Terceira pessoa do plural

Resumo

O objetivo deste artigo é caracterizar a concordância verbal de terceira pessoa do plural em variedade do português europeu e apresentar os fatores envolvidos no fenômeno. Para análise, recorre-se à Teoria da Variação Linguística (LABOV, 1972; 1994; 2003). As entrevistas consideradas na análise quantitativa provêm do Corpus de Referência do Português Contemporâneo (CRPC), do Centro de Linguística da Universidade de Lisboa (CLUL). Os resultados apontam para a influência dos fatores linguísticos posição do sujeito, traço semântico do sujeito e tipo morfológico do sujeito.

Biografia do Autor

Cássio Florêncio Rubio, Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira

Professor Adjunto II de Língua Portuguesa do Instituto de Humanidades e Letras da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira. Docente do Mestrado Acadêmico em Sociobiodiversidade e Tecnologias Sustentáveis (UNILAB) e do Mestrado Profissional em Letras (UECE)

Downloads

Publicado

2015-09-11

Edição

Seção

Artigo